Tamanho do texto

Casos mais comuns são de pessoas que tiravam fotografias em lagos, cumes de montanhas ou no topo de prédios altos; homens são a maioria das vítimas

O número de pessoas que morreram tentando tirar uma selfie preocupou especialistas (imagem meramente ilustrativa)
shutterstock
O número de pessoas que morreram tentando tirar uma selfie preocupou especialistas (imagem meramente ilustrativa)

Um levantamento de pesquisadores indianos, publicado na revista científica Journal of Family Medicine and Primary Care , descobriu que ao menos 259 pessoas morreram tentando tirar uma selfie no período entre os anos de 2011 e 2017. Republicada pela Biblioteca Nacional de Medicina nos Estados Unidos, a pesquisa deixou especialistas preocupados com a situação.

Leia também: Casal se distrai com selfie e deixa filho recém-nascido cair no mar na Itália

Na maior parte das vezes, as pessoas que tentavam tirar uma selfie e morreram estavam em lagos, cumes de montanhas ou prédios altos, sendo que as causas mais comuns para as mortes são afogamentos, acidentes de trânsito e quedas, além de choques elétricos, fogo e morte por animais.

Grande parte das mortes ocorreram na Índia (com 159 casos reportados), seguida pela Rússia e pelos Estados Unidos – que lidera no quesito fatalidades envolvendo armas de fogo.

Os homens representam o maior índice de vítimas, sendo 72,5% das pessoas que não sobrevivem a situações perigosas com selfies. Para os pesquisadores, por mais que as mulheres tirem mais fotos do gênero do que os homens, elas são mais cuidadosas em situações de risco.

O estudo ainda ressaltou que o grande problema para se mapear mortes por selfies é a falta de registros oficiais. Se uma pessoa morre em uma batida de carro enquanto tirava uma foto, por exemplo, o caso será notificado como um acidente de trânsito.

“Os jovens e turistas são frequentemente afetados por isso por causa da vontade de ‘parecer legal’, postar fotos nas redes sociais e ganhar curtidas e comentários”, continua o relatório. “Selfies por si só não são perigosas, mas o comportamento humano que as acompanha é. As pessoas precisam ser educadas sobre como se portar em locais perigosos, onde essas fotos não deveriam ser tiradas”.

Caso de indiano que morreu tentando tirar uma selfie

O homem estava na cachoeira com seus amigos, supostamente bêbados, tentando tirar uma selfie para suas redes sociais
Reprodução/Twitter
O homem estava na cachoeira com seus amigos, supostamente bêbados, tentando tirar uma selfie para suas redes sociais

Um desses casos repercutiu no mundo todo em junho deste ano, quando o indiano Ramjan Usman Kagji, de 35 anos, morreu após cair do topo de uma  cachoeira de mais de 50 metros na região de Ghatprabha. Segundo informações do  Daily Mail  , ele estava escalando o penhasco das famosas Cachoeiras de Gokak para fazer uma selfie, se desequilibrou e despencou.

Testemunhas contaram que o homem e seus amigos estavam bêbados e decidiram ir até a cachoeira. Eles se aproximaram dos limites do desfiladeiro, foram avisados que o local era perigoso e mesmo assim continuaram, já que Kagji queria uma selfie para suas redes sociais.

“Eu conseguia ver pelos seus gestos que os amigos estavam pedindo para mudar de posição, já que eles queriam capturar o ato no celular”, explicou a testemunha à imprensa local. “Depois do acidente, quando nós corremos para o ponto a partir do qual ele caiu, ouvimos seus colegas dizerem que ‘ele não teria perdido a vida se não quisesse um ângulo melhor'”.

Leia também: Indiano é atropelado por trem durante selfie, sobrevive e posta vídeo do momento

A segurança do local foi imediatamente reforçada para evitar incidentes parecidos na  cachoeira, que já registrou pelo menos 19 mortes de turistas nos últimos cinco anos (nem todas por pessoas que tentavam  tirar uma selfie ). Informações de junho mostram que a polícia não conseguiu localizar o corpo do homem.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.