Tamanho do texto

Seis militantes da causa vegana foram detidos por vandalismo a comércios, entre os estabelecimentos, McDonald's e uma loja de pesca foram atingidos

Açougueiros franceses estão chocados porque ativistas veganos tentam impor seu estilo de vida à força
Facebook/Marlowe Butchers
Açougueiros franceses estão chocados porque ativistas veganos tentam impor seu estilo de vida à força

Pelo menos seis pessoas foram presas no norte da França, na cidade de Lille, nesta quinta-feira (13), após serem acusadas da autoria de uma onda de ataques a açougues e a  estabelecimentos que vendem comida de origem animal na região. Os envolvidos seriam ativistas veganos, que pregam pelo fim do consumo desses produtos.

Leia também: "A casa é tudo o que temos", diz americano obrigado a evacuar devido a furacão

De acordo com as primeiras informações, os ataques aconteceram em uma rede de açougues e uma loja de pesca, entre maio e agosto. Ao todo, foram atingidas nove lojas na cidade. Entre os afetados, está também um comércio de queijos e um McDonald's, que tiveram suas janelas quebradas e paredes pixadas por ativistas veganos .

Nenhum deles foi preso em flagrante. De acordo com os investigadores, porém, as provas de DNA localizadas nos locais do crime e uma série de registros telefônicos ligou tais ativistas à onda de vandalismo em Lille.

Leia também: Fome aumenta e atinge mais de 821 milhões de pessoas no mundo, alerta a ONU

Ao cumprirem os mandados, ainda, os policiais teriam encontrado outras evidências nas casas dos militantes. "Eles preferiram ficar em silêncio enquanto eram interrogados", afirmou um porta-voz do gabinete. 

Entre as frases pixadas nos diferentes estabelecimentos estavam os dizeres "parem com o especismo". Esse termo é usado pela comunidade vegana para designar um "preconceito com determinada espécie de animal", como a permissão de se consumir carne de vaca, enquanto a carne de cachorro é proibida. Segundo os veganos, nenhuma espécie é melhor que a outra.

Segundo os ativistas, as pessoas que comem carne estão se comportando de maneira imoral contra outras espécies — considerando o ser humano como um ser superior e com o direito de explorar os demais animais como quiser. 

Leia também: Papa Francisco aceita renúncia de bispo de Goiás acusado por desvio de dinheiro

Há poucos meses, açougueiros franceses pediram ao Ministério do Interior maior proteção para seus negócios depois, dado que vários deles foram vandalizados por todo o país. Alguns ainda fdoram atingidos por bolsas de sangue falso. E, segundo a confederação de açougueiros local, que representa 18 mil empresas, os ativistas veganos protagonizaram dezenas de ataques apenas no ano de 2018.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.