Tamanho do texto

Dez crianças brasileiras ainda estão em abrigos nos Estados Unidos após terem sido separadas de suas famílias ao tentar entrar ilegalmente no país

Política de Trump separa pais e filhos imigrantes, levando as crianças para abrigos nos EUA
Reprodução/Facebook
Política de Trump separa pais e filhos imigrantes, levando as crianças para abrigos nos EUA

Pelo menos dez crianças brasileiras ainda estão em abrigos nos EUA após terem sido separadas de suas famílias ao tentar entrar ilegalmente no país, informou nesta quinta-feira (26) o Ministério das Relações Exteriores do Brasil. De acordo com a pasta, quatro estão em centros em Chicago e seis em abrigos em Houston. 

Leia também: Itamaraty informa que 19 crianças já foram reunidas com suas famílias nos EUA

O Itamaraty disse, por meio de nota à imprensa, que, nas duas últimas semanas, 39 crianças já foram liberadas de abrigos nos EUA e reunidas a pais ou responsáveis, com “vários outros” processos de reunificação familiar em fase de finalização.

“Escapa, obviamente, à competência do governo brasileiro obrigar crianças e familiares a retornarem ao Brasil. A maioria expressiva manifesta o interesse de permanecer nos Estados Unidos da América, ainda que, para isso, tenha de aguardar decisão das autoridades locais”, diz o comunicado oficial do ministério das Relações Exteriores.

“No caso dos poucos que optam pelo retorno voluntário, seus processos têm ocorrido segundo os protocolos estipulados pela lei americana, com o acompanhamento atento das repartições consulares, que colaboram na intermediação entre as partes envolvidas e auxiliam na juntada da documentação necessária”, acrescenta a nota do Itamaraty .

Leia também: "Solução é que não venham ilegalmente", afirma Trump sobre crianças imigrantes

Em maio deste ano, o governo do presidente Donald Trump adotou a chamada 'política de tolerância zero' com os que tentam atravessar ilegalmente a fronteira dos Estados Unidos. Enquanto os adultos são presos, as crianças, por determinação do mandatário republicano, são enviadas a abrigos.

O Palácio do Itamaraty informou que, desde a adoção da política de tolerância zero, tem feito chegar ao governo norte-americano “seu firme desagrado com uma prática, que considera cruel e em franca violação de instrumentos internacionais de proteção aos direitos das crianças”.

“Os agentes consulares mantêm suas visitas regulares aos abrigos nos EUA , com contatos com cada um dos menores, para assegurar que estão recebendo os cuidados devidos”, diz o ministério brasileiro.

Leia também: Justiça dos EUA ordena que menino brasileiro seja entregue à mãe

    Leia tudo sobre: Donald Trump