Manifestantes rejeitam a elevação no valor das contribuições à Previdência introduzido na reforma decretada na Nicarágua
GloboNews/ Reprodução
Manifestantes rejeitam a elevação no valor das contribuições à Previdência introduzido na reforma decretada na Nicarágua

Milhares de policiais iniciaram nesta terça-feira (17) uma ofensiva militar na cidade de Masaya, onde nos últimos meses têm se concentrado protestos contra medidas do presdiente da Nicarágua, Daniel Ortega.

Leia também: Após fortes críticas, Donald Trump recua e diz confiar em investigação dos EUA

De acordo com a Associação Nicaraguense Pró-Direitos Humanos, ao menos três pessoas já morreram em consequência da intervenção dos militares. Uma delas seria um adolescente de 15 anos. Por ordem do presidente da Nicarágua , todos os acessos a cidade foram bloqueados pela polícia. Paramilitares também estariam participando da ação, de acordo com o jornal Folha de S.Paulo .

Barricadas foram montadas pelos manifestantes nos bairros periféricos da cidade. Armados com bombas caseiras, a população se prepara para o enfrentamento com os policiais. A cidade tem cerca de 160 mil habitantes.

De acordo com as últimas informações, no final do dia os protestos se pacificaram, e os militares seguem patrulhando as ruas da cidade. Bispos da Igreja Católica no país afirmam estar preocupados com a possibilidade de um massacre de maiores proporções. 

A ONU já divulgou uma nota em repúdio à repressão policial no país. O governo nicaraguense , por sua vez, afirma que terroristas estão infiltrados entre os manifestantes.

Você viu?

Leia também: Festa francesa após vitória na Copa acaba em tumulto e violência em Paris

Após protestos, presidente da Nicarágua suspende reformas

Após uma sequência de protestos violentos na Nicarágua em abril, o presidente Daniel Ortega se viu obrigado a revogaçar a reforma da previdência no país. Dezenas de pessoas morreram nos atos , segundo organizações de direitos humanos.

De acordo com a agência de notícias AFP , Ortega afirmou durante um encontro com empresários que o Instituto Nicaraguense de Seguro Social (INSS) que decidiu revogar a reforma que pretendia aumentar as contribuições dos trabalhadores e patronais para dar estabilidade financeira ao sistema de pensões da Nicarágua .

Os manifestantes rejeitam a elevação no valor das contribuições à Previdência introduzido na reforma decretada pelo governo do presidente Daniel Ortega, atendendo à recomendação do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Entre as vítimas dos protestos está o jornalista Ángel Ganoa, que morreu após ser atingido por um disparo enquanto transmitia ao vivo os protestos contra o governo da Nicarágua

Leia também: Primeiro-ministro do Haiti renuncia em meio à crise contra preço do combustível

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários