Cecília Haddad (foto), assassinada em abril. Acusado de matar brasileira na Austrália está foragido
Reprodução/Facebook/NSW Police Force
Cecília Haddad (foto), assassinada em abril. Acusado de matar brasileira na Austrália está foragido

Foi preso na noite deste sábado (7) o engenheiro Mário Marcelo Ferreira dos Santos Santoro, de 40 anos, suspeito de matar a ex-namorada Cecília Müler Haddad, de 38 anos, entre os dias 28 e 29 de abril deste ano, em Sidney, na Austrália, onde a vítima morava. Santoro foi encontrado pela Polícia Civil na Zona Sul do Rio de Janeiro depois de passar três dias foragido.

Leia também: Empresária brasileira é encontrada morta em rio da Austrália no fim de semana

O corpo de Cecília foi encontrado no dia 29 de abril, no Rio Lane Cover. Os dois são brasileiros. A prisão preventiva do acusado de matar a brasileira na Austrália foi decretada na noite de quinta-feira (4).

Acionada no início de maio pela família de Cecília Haddad , a Divisão de Homicídios (DH) deu início às investigações ouvindo parentes da vítima e providenciando análise pericial de alguns documentos que a família forneceu.

Desta forma, foi possível à polícia técnica evidenciar a morte de Cecília por asfixia mecânica por constrição do pescoço, bem como que o autor do crime era o ex-companheiro dela.

Acusado de matar brasileira na Austrália é réu por feminicídio

A Justiça aceitou denúncia oferecida pelo Ministério Público contra Mário Santoro por feminicídio , e ele hoje é réu perante a Justiça brasileira por este crime.

Você viu?

Leia também: Rússia abre inquérito contra torcedores brasileiros que constrangeram mulher

No início da investigação, a Divisão de Homicídios solicitou, por meio da divisão da Interpol no Brasil, a colaboração da polícia internacional na Austrália no sentido de providenciar e fornecer informações sobre a morte de Cecília descobertas pelas autoridades locais.

A Justiça também expediu mandado de busca e a apreensão no endereço de Mário, na Avenida Atlântica, em Copacabana, zona sul do Rio.

Na manhã desta sexta-feira (6), equipes da DH fizeram buscas na casa do acusado de matar a brasileira na Austrália e na casa dos pais dele, na Avenida Atlântica, mas ele ainda não havia sido encontrado. A polícia também o procurou, sem sucesso, em endereços de parentes na zona sul do Rio. 

* Com informações da Agência Brasil

Leia também: Lei sueca que considera estupro todo ato sexual sem consentimento entra em vigor

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários