Tamanho do texto

Elizabeth Mary Isherwood, de 60 anos, ficou no escuro dentro do armário utilizado para secar roupas, depois de a fechadura da porta quebrar; investigação policial apontou que ela morreu devido à jato de água fria e ar

Elizabeth Mary Isherwood estava de férias em hotel quando ficou presa em armário de ventilação após fechadura quebrar
reprodução/google streetview
Elizabeth Mary Isherwood estava de férias em hotel quando ficou presa em armário de ventilação após fechadura quebrar

Uma mulher morreu de hipotermia após ficar presa por dias dentro de um armário de ventilação em uma pousada de férias, no País de Gales. De acordo com informações do jornal Metro , Elizabeth Mary Isherwood, de 60 anos, ficou no escuro dentro do armário utilizado para secar roupas depois de a fechadura da porta quebrar.

Leia também: Oito crianças brasileiras estão separadas dos pais presos pela imigração nos EUA

Investigações policiais apontaram que, após a fechadura se desprender da porta, a mulher tentou sair do armário de ventilação quebrando as prateleiras do objeto. Entretanto, durante a tentativa mal-sucedida de se libertar, Elizabeth rompeu a tubulação das paredes do armário, que soltou água fria e uma corrente forte de ar.

Os oficiais afirmaram ter encontrado a idosa nua e o local, que funcionava como uma espécie de secadora, estava cheio de perfurações e com muita água. Eles informaram que os vizinhos do apartamento da colônia de férias identificaram cadáver de Isherwood, após a água da tubulação do armário causar infiltração em outros cômodos do hotel.

Pulverização de água de armário de ventilação causou morte da idosa

O legista responsável por examinar o cadáver da mulher alegou que sua morte foi causada pela pulverização de água gelada junto da corrente de ar intensa. Ele diz que a vítima pode ter falecido logo no primeiro dia presa no armário, devido ao estado em que seu corpo foi encontrado.

Leia também: Homem morre ao despencar de cachoeira enquanto tirava selfie; assista ao vídeo

Para o patologista Brian Rodgers, a afirmação do legista pode estar equivocada por conta das diferentes marcas deixadas no cômodo, que, segundo ele, evidenciam várias tentativas da britânica de sair do local. “Havia muitos arranhões, buracos e coisas quebradas dentro do armário. Creio que tudo aquilo foi feito em um período maior de tempo. Me parece que ela tentou salvar sua vida por dias”, expôs.

Um vizinho relatou à mídia local ter ouvido muitos barulhos vindos do apartamento onde Elizath estava hospedada, em Machynlleth, mas só decidiu averiguar se estava tudo bem após a ocorrência de uma infiltração. “Depois que a água começou a vazar para o meu apartamento, procurei um funcionário do local. Foi então que ele encontrou a ‘senhora’ nua, caída dentro do armário”, disse o homem quem não teve a identidade divulgada.

Leia também: Homem é multado por excesso de velocidade ao socorrer amiga picada por cobra

Juntamente ao legista, o patologista Brian Rodgers determinou que Elizabeth Mary Isherwood morreu de hipotermia, acelerada pela pulverização de água fria do armário de ventilação do hotel.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.