Tamanho do texto

Juíza responsável considerou o caso como um "ato deliberado de degradação de moradores de rua” e condenou Stephen Gibney a dois meses de detenção

Stephen Gibney, de 32 anos, deverá ficar oito semanas na prisão por urinar no morador de rua
Reprodução/Metro.co.uk
Stephen Gibney, de 32 anos, deverá ficar oito semanas na prisão por urinar no morador de rua


O britânico Stephen Gibney, de 32 anos, foi condenado a dois meses de prisão por urinar em um morador de rua “como uma brincadeira”. Segundo informações do portal Metro , o caso ocorreu na cidade de Liverpool, no Reino Unido, quando Richard Stanley acordou com o homem urinando em seu rosto e, bêbado, gargalhava.

Leia também: Torcedores brasileiros que assediaram mulher em vídeo da Copa são denunciados

A situação foi parar na justiça e Jane Stancey, promotora responsável, explicou que antes das cinco da manhã do dia 18 de maio, o morador de rua dormia na região de Whitechapel quando acordou e percebeu o que estava acontecendo com ele.

Gibney estava junto de um amigo, e os dois pareciam estar embriagados enquanto riam do ocorrido. 

“Ele abriu os olhos e viu dois homem gargalhando, e percebeu que o acusado estava urinando em seu rosto e casaco, que estava próximo dele e de seus pertences”, Stancey descreveu sobre a cena. “Quando a vítima disse que ia chamar a polícia, Gibney disse: ‘eu vou bater em você agora, o que você vai fazer sobre isso?’”.

Leia também: Casal faz sexo em poltrona de avião e deixa passageiros incomodados; assista

Julgamento do homem que urinou em morador de rua

O homem foi preso em flagrante pelas autoridades locais e julgado recentemente na Corte de Magistrados de Liverpool, onde admitiu a culpa pelo crime . A juiza Wendy Lloyd o condenou a oito semanas de prisão e disse que o caso configura um “ato deliberado de degradação de pessoas em situação de rua”.

“Aquilo era a sua casa, seu pequeno espaço onde tentava se estabelecer com um ser humano, um homem válido, assim como qualquer outra pessoa”, anunciou a magistrada. “Ele não pode de maneira alguma ser olhado de maneira diferente ou julgado de maneira inferior do que qualquer outro membro da sociedade”.

Leia também: Criança é esquecida em veículo por professora e morre asfixiada na Tailândia

O advogado da defesa disse que o acusado estava sob o efeito de álcool quando urinou sobre o morador de rua , mas tem consciência que seu comportamento foi inaceitável e maldoso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.