Tamanho do texto

"Mundo verá grande mudança", diz Kim; líderes assinaram acordo em que a Coreia do Norte se compromete a acabar com todas as suas armas nucleares

Donald Trump e Kim Jong-un se apertam as mãos antes da reunião histórica
Divulgação/White House
Donald Trump e Kim Jong-un se apertam as mãos antes da reunião histórica

O encontro histórico entre o presidente dos Estados Unidos , Donald Trump e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, terminou de forma bastante positiva. Após conversas que duraram cerca de quatro horas, Trump e Kim assinaram um acordo pela paz. No documento, o líder norte-coreano se compromete a acabar com seu arsenal nuclear. Os Estados Unidos, por sua vez, vão trabalhar para garantir a segurança dos norte-coreanos.

Leia também: Confrontos na Faixa de Gaza deixam três palestinos mortos e 618 feridos

Essa foi a primeira vez na história que um presidente dos Estados Unidos faz uma reunião com um líder da Coreia do Norte. Trump e Kim Jong-un também se comprometeram a trabalhar juntos pela paz na penísula coreana e a repatriar os restos mortais de seus prisioneiros de guerra.

Os dois líderes trocaram elogios durante todo o evento. Trump chegou afirmar que convidaria o norte-coreano para visitar Casa Branca e disse que os dois desenvolveram um "laço especial". Kim Jong-Un agredeceu o norte-americano pela reunião e falou que aceitaria um convite para ir a Washington. 

Cúpula de Cingapura

Donald Trump e Kim Jong-Un chegaram ao Hotel Capella, localizado na ilha de Sentosa, precisamente às 22h do horário de Brasília, se cumprimentaram, posaram para fotos em frente ao complexo, e se dirigiram para a sala de reuniões, onde receberam a imprensa para mais fotos.

Antes de início da reunião, Trump falou rapidamente sobre suas expectativas para o encontro: "Acredito que será um tremendo sucesso. É uma honra poder conversar com ele e tenho certeza que teremos uma excelente relação daqui para frente", disse o presidente norte-americano. 

Kim Jong-un também se dirigiu aos repórteres. "Preconceitos e práticas passadas foram obstáculos no nosso caminho, mas conseguimos superá-los e hoje estamos aqui", afirmou.

Conforme divulgado no itinerário da Casa Branca, a reunião começou apenas com a presença dos dois presidentes e des seus repectivos intérpretes. Após cerca de 40 minutos, os dois governantes deixaram a sala onde conversaram a sós e foram para um salão, onde se juntaram às suas comitivas. 

Leia também: Negado pela Itália, barco com 629 refugiados irá à Espanha a convite de premiê

Novamente, a imprensa teve acesso ao local antes do início das tratativas. Trump voltou a agradecer o presidente norte-coreano e disse que as conversas estavam caminhando bem. "Muito bom. Excelente relacionamento", afirmou o norte-americano. "Trabalhando juntos nos vamos resolver as coisas. Vamos acabar com um grande dilema", completou, antes das portas serem novamente fechadas. 

A comitiva dos Estados Unidos foi formada, entre outros, pelo secretário de Estado Mike Pompeo, pelo chefe de Gabinete John Kelly e pelo assessor John Bolton. Do lado norte-coreano, o ministro das Relações Internacionais Ri Yong Ho e o vice-líder do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte, Ri Su Yong, se sentaram ao lado de Kim Jong-Un.

Mais demorada, a segunda conversa durou cerca de uma hora de meia. Depois, as duas comitivas participaram de um almoço no hotel. Desta vez, os dois líderes não fizeram declarações e apenas posaram para fotos.

Após o almoço, os dois chefes de estados caminharam juntos até a imprensa e Trump afirmou que as conversas foram produtivas: "Foi muito positivo. Acredito que tenha sido melhor do que qualquer um poderia imaginar", disse o presidente norte-americano, que afirmou que estava indo "assinar um documento" com Kim Jong-un e que faria um pronunciamento em seguida.

Detalhes do acordo

Após reuniões, Donald Trump e Kim Jong-Un assinaram compromisso pela paz
Divulgação
Após reuniões, Donald Trump e Kim Jong-Un assinaram compromisso pela paz

Kim e Trump assinaram o documento na frente da imprensa. "Estamos prestes a assinar um acordo importante e amplo", disse Trump. Kim Jong-un classificou o documento como histórico. "Resolvemos deixar o passado para trás. O mundo verá uma grande mudança", disse.

Veja os pontos principais do acordo assinado por Estados Unidos e Coreia do Norte

  • Estados Unidos e Coreia do Norte se comprometem a estabelecer relações de acordo com o desejo de seus povos pela paz e prosperidade;
  • Estados Unidos e Coreia do Norte irão unir seus esforços para construir um regime de paz estável e duradouro na Península Coreana;
  • Conforme a Declaração de Panmunjon, de 27 de abril de 2018, a Coreia do Norte se compromete a trabalhar em direção à completa desnuclearização da Península Coreana;
  • Estados Unidos e a Coreia do Norte se comprometem a recuperar os restos mortais de prisioneiros de guerra, incluindo a imediata repatriação daqueles já identificados. 

O documento assinado por Trump e Kim  é um passo importante para a paz, conforme classificou o presidente americano. Quando questionado se o programa nuclear norte-coreano seria encerrado , Trump disse que "as coisas estavam caminhando nessa direção de maneira muita rápida". 

    Leia tudo sobre: Donald Trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.