Tamanho do texto

Oficial filmado agredindo a mulher de 20 anos, assim como os outros policiais que abordaram a jovem, foram afastados e estão trabalhando internamente

A situação ainda não foi esclarecida, mas ela relatou que tudo começou com a suspeita de consumo de bebidas alcoólicas
Reprodução/Facebook
A situação ainda não foi esclarecida, mas ela relatou que tudo começou com a suspeita de consumo de bebidas alcoólicas

A jovem Emily Weinman, de 20 anos, foi agredida na cabeça por um policial em uma praia de Nova Jersey, nos Estados Unidos, no último fim de semana. De acordo com o portal Metro , as autoridades abordaram a mulher, mãe de uma bebê, porque suspeitaram que ela estivesse consumindo bebidas alcóolicas, contudo, após ser submetida a um teste de bafômetro, o resultado deu negativo.

Leia também: Britânico atira e esfaqueia filho após discutirem sobre quem pagaria por pizza

Weinman publicou em seu Facebook que, como as suspeitas dos policiais foram resolvidas com o teste, ela teria perguntado “se eles não tinham nada melhor para fazer”, e em seguida, foi agredida  pelo oficial que se sentiu ofendido.

Outros banhistas filmaram e fotografaram a cena, na qual a mulher é jogada na areia e espancada na cabeça enquanto grita: “você não tem permissão para me bater desse jeito, eu não estou resistindo, não fiz nada de errado”.

A mulher também escreveu que estava com bebida alcóolica. “É o Memorial Day e 90% das pessoas são adolescentes bebendo na praia, sem dúvida. Eu disse que não estava bebendo e o álcool estava lacrado, o que os oficiais viram”.

A idade mínima para consumir bebidas alcoólicas no país é 21 anos. Weinman admitiu que "poderia ter cooperado mais com a situação", mas, por causa da agressão, decidiu compartilhar o vídeo nas redes sociais.

O Departamento de Polícia de Wildwood confirmou que os policiais envolvidos no caso foram afastados das ruas, e uma investigação foi aberta. “Os oficiais foram encaminhados a trabalhos administrativos”, esclareceu em nota. “Por mais que o superior Robert Regalbuto acredite que o vídeo seja alarmante, ele não quer apressar nenhum julgamento até ter o resultado final da investigação”.

Outro caso de agressão nos Estados Unidos

Outra situação de agressão também chocou os EUA nos últimos dias. Uma americana, mãe de três meninas, esfaqueou sua filha de 11 anos e incendiou a casa onde moravam em Tulsa  “por ter ficado incomodada com o modo que a garota estava lendo”.

Taheerah Ahmad, de 39 anos, foi presa na noite de terça-feira (15) ao ser denunciada pelos vizinhos que viram uma das crianças escondida dentro de um carro. Segundo informações do jornal  Metro , Taheerah chegou a esfaquear a filha  por 70 vezes, além de bater na cabeça dela com uma picareta, colocando fogo na casa “para assegurar que estivesse morta”.

As autoridades afirmaram que, depois do ataque, a mulher tentou fugir com a criança de oito anos, enquanto a terceira filha, de sete anos, foi dada como desaparecida, sendo encontrada em segurança junto da avó materna.

Leia também: Filhos escondem morte da mãe e deixam seu corpo em casa para receber pensão

A mulher foi detida sob as acusações de provocar um incêndio proposital, abuso infantil e agressão com intenção de matar. Ela está presa sem direito à fiança, enquanto a menina de 11 anos, que foi  agredida , está internada no hospital em estado grave.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.