Tamanho do texto

Segundo a magistrada, bloquear os perfis viola os direitos coletados na Primeira Emenda da Constituição, na qual estão a liberdade de expressão

Justiça não determinou que Donald Trump desbloqueie usuários já
Reprodução/ Fox News
Justiça não determinou que Donald Trump desbloqueie usuários já "vetados" em sua conta

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi proibido por uma juíza de bloquear usuários no Twitter. Segundo Naomi Reice Buchwald, ao excluir críticos na rede social, onde o presidente tem 52,2 milhões de seguidores, ele viola a Constituição norte-americana no que diz respeito à liberdade de expressão.

Leia também: Casal vence processo na Justiça para obrigar filho de 30 anos a sair de casa

"Respaldamos que a expressão na forma na qual eles a exercem está protegida pela Primeira Emenda e que o presidente (...) exerce o controle governamental sobre certos aspectos da conta @realDonaldTrump, incluindo o espaço interativo dos tuítes enviados a partir da conta", argumentou a juíza. No entanto, a Justiça não determinou que Donald Trump desbloqueie usuários já "vetados" em sua conta.

A ação movida contra o republicano foi apresentada em julho de 2017, pelo Instituto Knight Primeira Emenda, da Universidade Columbia. Uma pesquisa realizada pela consultoria "Gallup" revelou que 29% dos perfis que seguem o magnata no Twitter– cerca de 15 milhões – são falsos. A porcentagem é quase o dobro daquela registrada na conta do ex-presidente Barack Obama: das 103 milhões de pessoas que o seguem, 15% são "fakes". 

Deslizes no Twitter

Depois de passar cinco dias internada em um hospital, a primeira-dama dos Estados Unidos, Melania Trump, voltou para a Casa Branca, residência onde vive ao lado do presidente, no último sábado (19).

Seu retorno, porém, quando noticiado pelo republicano no Twitter do presidente, gerou risos e indignação entre os internautas – não pela melhora na saúde de Melania Trump, mas por uma confusão causada por Donald. Afinal, o magnata errou a grafia do nome da própria esposa.

"É ótimo ter nossa incrível primeira-dama de volta à Casa Branca. Melanie está se sentindo muito bem. Obrigado por todas as suas orações e felicitações!", escreveu o presidente norte-americano.

Depois desse tweet ficar alguns minutos no ar, Trump – ou sua equipe – notou que os internautas comentavam o erro de grafia. Por isso, apagou a publicação e a republicou corrigindo o nome da esposa, ou seja, trocando 'Melanie' por 'Melania'.

De acordo com a Casa Branca, Melania voltou bem para casa, depois de passar por um procedimento médico nos rins. Ela estava internada no Centro Médico Militar Nacional Walter Reed, perto de Washington, desde a última segunda-feira (14).

Leia também: Reunião com líder norte-coreano pode ser adiada, afirma Trump

Apesar de ter trocado o nome da esposa em sua demonstração pública de afeto, durante a internação, Donald Trump visitou Melania várias vezes. Ela, que tem 48 anos de idade, afirmou em seu Twitter pessoal que está se sentindo ótima. Na sua publicação, ela também agradeceu à equipe do hospital onde ficou internada, aos seus seguidores e disse que o sentimento de voltar para casa era de ansiedade.

* Com informações da Ansa

    Leia tudo sobre: Donald Trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.