Tamanho do texto

Natural da África do Sul, ex-ator pornô e ex-stripper, o homem preso por atirar no hotel do presidente está sendo investigado pelas autoridades, que querem entender o que o motivou a efetuar os disparos naquela madrugada

O suspeito atirador, natural da África da Sul, conseguiu a nacionalidade norte americana no ano passado
Reprodução/Facebook
O suspeito atirador, natural da África da Sul, conseguiu a nacionalidade norte americana no ano passado


O hotel e clube de golfe Trump National Doral, propriedade do presidente norte-americano na cidade de Miami, foi alvo de diversos disparos na última sexta-feira (18). De acordo com o jornal El País , o ex-ator pornô e ex-stripper Jonathan Oddi, de 42 anos, entrou no estabelecimento gritando palavras contra Donald Trump e foi o responsável por tiros que atingiram quadros, partes da mobília e janelas. Felizmente, ninguém ficou ferido na ocasião.

Leia também: Homem sob efeito de ecstasy há cinco dias é preso ao encher banheira com batatas

O homem foi detido e, agora, as autoridades realizam uma investigação para analisar o caso e, principalmente, para compreender as motivações de Oddi ao disparar contra o hotel de Donald Trump , mistério que permanece sendo uma incógnita até então, já que, após passar o fim de semana hospitalizado, ele compareceu ao tribunal e, visivelmente alterado, não colaborou para que a sessão acontecesse normalmente.

Esta é a primeira vez que o agora empresário vai para a cadeia, e enfrenta acusações graves, como cinco tentativas de homicídio de segundo grau e assalto com arrombamento.

Leia também: Turistas bêbados colocam fogo em hotel após tentativa de queimar pé de amigo

Quem é Jonathan Oddi?

Divorciado em 2014 e atualmente casado com outra mulher, Oddi é natural da África do Sul e vive nos Estados Unidos há vários anos. Seus primeiros trabalhos no país foram de stripper e ator de filmes pornô , suas principais ocupações até 2013, quando passou a se dedicar a outras atividades.

Em seu Facebook, anuncia que é "instrutor fitness, investidor imobiliário e gerente de um negócio de pedras preciosas". Oddi mora em Miami, a poucos minutos do hotel Trump National Doral, e em 2017 conseguiu a nacionalidade norte-americana, fato que rendeu muitas comemorações nas redes sociais, bastante utilizadas pelo acusado.

Nas páginas, ele emitiu opiniões sobre diversos assuntos da atualidade – como as ações políticas de Trump –, denunciou um caso de maltrato animal, comentou as denúncias de abuso sexual contra Harvey Weinstein, a epidemia dos opiáceos e o relacionamento do atual presidente com a atriz pornô Stormy Daniels, dentre diversas outras questões.

Leia também: Homem pelado pula da janela para fugir da polícia em ação antidrogas na Polônia

Tudo isso está sendo analisado pelas autoridades, que ainda não encontraram uma motivação para o ato de Oddi. Um amigo do acusado chamado Luis David González disse que está “surpreso e confuso” com a situação, porque o conhece há dez anos e nunca imaginaria que ele fosse capaz de efetuar os disparos em lugar algum, muito menos no hotel de Donald Trump .

    Leia tudo sobre: Donald Trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.