Tamanho do texto

"Não sou o tipo de pessoa que dispara armas nucleares", afirmou o líder da Coreia do Norte, durante o seu encontro com o presidente sul-coreano

Kim Jong-un deve se encontrar com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em maio
KCNA/Divulgação
Kim Jong-un deve se encontrar com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em maio

O processo de desnuclearização da Coreia do Norte vem ocorrendo de maneira acelerada – pelo menos no discurso. Afinal, o líder norte-coreano, Kim Jong-un, prometeu que vai fechar todas as instalações de testes nucleares de seu país em maio.

Leia também: Trump anuncia que reunião histórica com Kim Jong-un acontecerá em até um mês

Em sua promessa, divulgada neste domingo (29) pela presidência da Coreia do Sul, Kim Jong-un disse ainda que vai convidar especialistas sul-coreanos e norte-americanos para acompanhar o processo de desmantelamento das sedes nucleares.

Esse anúncio de Seul foi feito dois dias após a reunião histórica entre Kim e Moon Jae-in, presidente sul-coreano – ocorrida na última sexta-feira (27). No encontro, os dois líderes concordaram em buscar a “desnuclearização total” da península.

“Kim disse, durante a reunião com o presidente Moon, que iria realizar o fechamento das instalações nucleares em maio e que convidaria em breve especialistas da Coreia do Sul e dos Estados Unidos para informar sobre o processo à comunidade internacional com transparência”, declarou Yoon Young-chan, porta-voz da presidência sul-coreana.

Kim Jong-un e Moon Jae-in se encontraram nesta sexta-feira e prometeram um compromisso com a paz na península das Coreias
Reprodução/NDTV
Kim Jong-un e Moon Jae-in se encontraram nesta sexta-feira e prometeram um compromisso com a paz na península das Coreias

De acordo com o porta-voz, Kim disse também, no encontro, que não é o "tipo de pessoa que dispara armas nucleares". "Embora tenha minhas reservas com Washington, as pessoas verão que não sou o tipo de pessoa que dispara armas nucleares para a Coreia do Sul , o [Oceano] Pacífico ou os Estados Unidos", teria dito Kim a Moon durante a conversa. 

Leia também: Trump declara fim da guerra entre as Coreias e atribui reunião de paz aos EUA

"Se nos reuníssemos regularmente com os americanos para sedimentar a confiança e eles prometessem pôr fim à guerra e não nos invadir, para que manteríamos então um arsenal nuclear e viveríamos em condições tão difíceis?", explicou o líder norte-coreano.

Kim Jong-un se encontrará com Trump em maio

O presidente dos Estados Unidos,  Donald Trump , anunciou, no final deste sábado (28), que vai se reunir como o líder norte-coreano em um período que determinou como "em três ou quatro semanas".

Reprodução/NBC
"Acredito que vamos ter um encontro nas próximas três ou quatro semanas", afirmou Trump sobre Kim Jong-un

Com isso, o magnata antecipa as estimativas previamente divulgadas pela Casa Branca, que havia dito que Trump e Kim se veriam até o início de junho. Agora é sabido que a reunião histórica entre o presidente dos  Estados Unidos  e o ditador da Coreia do Norte acontecerá no mês de maio.

"Acredito que vamos ter um encontro nas próximas três ou quatro semanas", afirmou Trump.  "Vai ser um encontro muito importante", disse, em seu discurso a simpatizantes, em Michigan, ressaltando que o tema principal das conversas será "a desnuclearização da península da Coreia". 

Leia também: Em encontro histórico, líderes das Coreias prometem fim da guerra para este ano

A reunião entre Donald Trump e  Kim Jong-un  será a primeira na história entre líderes dos EUA e da Coreia do Norte. Ela ocorre após meses de trocas de farpas entre os dois líderes, associadas a uma série de ameaças nucleares. 

    Leia tudo sobre: donald trump