Tamanho do texto

Traficantes sequestraram Salomón Gastélum, Jesús Díaz e Marco Ávalos por acreditarem que os estudantes eram membros de um cartel de drogas rival

Os estudantes estavam desaparecidos há um mês e, nesta segunda-feira (23), o caso foi solucionado pela polícia do México
Reprodução/El Sol de México
Os estudantes estavam desaparecidos há um mês e, nesta segunda-feira (23), o caso foi solucionado pela polícia do México


Os estudantes de cinema Javier Salomon Aceves, de 25 anos, Jesus Daniel Diaz, 20, e Marco Garcia Avalos, 20, foram sequestrados, assassinados e dissolvidos em ácido sulfúrico por membros do Cartel Jalisco Nova Geração (CJNG), do México. Segundo informações do portal  Metro , eles estavam desaparecidos há um mês, quando foram confundidos com traficantes rivais da gangue.

Leia também: Homem nu deixa vizinho tetraplégico por causa de música que interrompeu seu sexo

De acordo com a procuradoria local, os estudantes da Universidade de Mídia Audiovisual desapareceram dia 19 de março em Tonala, após o carro de um deles quebrar. A partir deste momento, eles foram abordados por homens disfarçados de policiais, sequestrados, torturados e assassinados. "Depois disso, seus corpos foram dissolvidos em ácido, assim, não restaria nenhum traço deles", as autoridades do  México  explicaram. 

Os restos genéticos foram encontrados em uma fazenda com mais de 56 litros de ácido sulfúrico e, de acordo com a  BBC oito pessoas participaram do assassinato. Até o momento, dois suspeitos foram detidos, enquanto os outros seis continuam desaparecidos.

Nenhuma ligação com o narcotráfico

As autoridades confirmaram que nenhuma das três vítimas tinha alguma ligação com o narcotráfico ou com o Cartel Nova Praça, que seria o principal rival do CJNG. O único detalhe que os teria feito "suspeitos" para os traficantes seria a montagem de um cinema amador em uma propriedade usada pelo grupo criminoso.

Leia também: Polícia prende suspeito de matar quatro pessoas no Tennessee, nos EUA

"Não acreditamos que eles tenham tido vínculo com algum cartel", explicou a chefe da investigação Ivette Torres.

Aumento da violência no México

O crime se insere em um quadro de aumento dos índices de violência no país. Segundo dados da Secretaria Executiva do Sistema Nacional de Segurança Pública (SESNSP), do primeiro trimestre de 2018, 353 homicídios aconteceram no estado de Jalisco, fazendo deste o começo de ano mais violento dos últimos 20 anos.

Leia também: Policiais invadem funeral e tentam usar dedo do cadáver para desbloquear celular

2017 foi considerado o ano mais violento das últimas duas décadas no  México . Com 23.101 homicídios, o ano superou 2011, quando 22.409 assassinatos foram registrados pelas autoridades.