Mulher que abriu fogo na sede do YouTube nesta terça-feira (3) em San Bruno foi identificada como Nasim Najafi Aghdam
San Bruno Police
Mulher que abriu fogo na sede do YouTube nesta terça-feira (3) em San Bruno foi identificada como Nasim Najafi Aghdam

A mulher que abriu fogo na sede do YouTube nesta terça-feira (3) em San Bruno, foi identificada como Nasim Najafi Aghdam, de 39 anos. A mulher morava em San Diego, Califórnia, informou a polícia norte-americana nesta quarta-feira (4).

Leia também: Homem é atacado e morre em tradicional tourada no sul da Espanha

Segundo as investigações, a mulher teria praticado disparos em uma área de tiro horas antes do ataque. Ela então levou seu revólver 9 mm para o campus do Vale do Silício e atirou em três pessoas que, aparentemente, ela não conhecia, disse o chefe da polícia de San Bruno, Ed Barberini. Tudo isso porque Nasim Najafi Aghdam estava revoltada com as práticas e políticas do YouTube.

"Sabemos que ela estava chateada com a empresa e agora determinamos que esse era o motivo", disse Barberini. Aghdam atirou e feriu três pessoas antes de se matar. Duas das vítimas foram libertadas do hospital e uma permanece em estado grave.

Leia também: Homem leva tiro na cabeça durante 'brincadeira' de amiga em live no Facebook

Você viu?

De acordo com as autoridades locais, Aghdam tinha uma conhecida dentro da sede da rede social, o que facilitou o caminho até a descoberta de sua identidade. Além disso, a polícia contou com a ajuda do testemunho de alguns funcionários.
Agdham, autora do crime, foi encontrada morta dentro do edifício. As autoridades suspeitam de que ela teria se suicidado logo após o ocorrido.

Censura a vídeos

Segundo as investigações iniciais, Agdham poderia ter sido motivada a cometer o crime pelo fato da rede social supostamente bloquear e censurar os vídeos de seu site. Segundo o raciocínio da suspeita, isso fez com que ela deixasse de ganhar dinheiro pelo conteúdo que hospedava na plataforma audiovisual.

Leia também: Adolescente de 17 anos é baleada e morre por causa de milkshake em Londres

"O YouTube filtrou meus canais para evitar que consigam visualizações!", disse Aghdam, em seu site, onde aparecem diferentes fotografias e vídeos, assim como várias mensagens em favor do veganismo. Na terça-feira (3), por volta das 12h46 (horário local), a mulher deixou três pessoas feridas durante um tiroteio dentro da empresa norte-americana, onde 1.100 funcionários trabalhavam no momento.

* Com informações da Ansa

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários