undefined
Reprodução/KCNA
Kim Jong-un se reunirá com a comitiva de autoridades da Coreia do Sul

Kim Jong-un, ditador da Coreia do Norte , concordou em se reunir com o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, em uma reunião de cúpula que acontecerá em Panmujom, zona desmilitarizada na fronteira entre os países situada na Coreia do Sul . A informação é do jornal inglês The Guardian .

Leia também: ‘Somos os 99% da população’, diz vereadora mais votada de BH

Será a primeira vez que um mandatário norte-coreano visita o vizinho do sul desde o acordo de paz que pôs fim à guerra entre os dois países, que se estendeu de 1950 a 1953. Antes, lideranças das duas nações já haviam se reunido; os encontros, contudo, aconteceram em Pyongyang , na Coreia do Norte.

A nova reunião acontecerá no dia 27 de abril na Casa da Paz, mesmo lugar em que foi assinado o armistício de 1953.

O anúncio ocorre após uma série de reuniões entre o corpo diplomático das duas nações e de uma visita secreta de Kim Jong-un à China, onde ele debateu com o mandatário Xi Jinping a possibilidade de se reunir com os sul-coreanos e com o entorno do presidente norte-americano, Donald Trump.

Diálogo com os EUA

Depois de anos de desavenças e ameaças de guerra, o governo da Coreia do Norte anunciou em 25 de fevereiro que se dispõe a conversar com os Estados Unidos. A declaração foi dada pelo general norte-coreano Kim Yong-chol, líder da delegação do país durante a cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de PyeongChang, na Coreia do Sul.

Leia também: Temer diz que quem quiser criticar governo terá de fazer "malabarismo eleitoral"

"A delegação do Norte transmitiu o desejo do líder Kim Jong-un de fazer isso", diz o comunicado. 

Durante o encerramento das Olimpíadas de Inverno, o general norte-americano se sentou próximo do general Vincent Brooks, principal comandante militar dos EUA, e de Ivanka Trump, filha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e líder da delegação norte-americana na cerimônia.

Apesar da possibilidade de diálogo, a relação entre os dois países não tem sido a mais amigável nos últimos dias. Também em fevereiro, Trump anunciou o maior pacote de sanções já imposto pelos EUA à Coreia do Norte .

O governo norte-coreano classificou as medidas como um ato de guerra. Destinado a 56 companhias de transporte marítimo, o pacote do governo dos EUA tem o objetivo de pressionar Pyongyang a interromper programas nuclear e bélico.

Leia também: Bolsonaro diz querer ver Alexandre Frota como ministro da Cultura

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários