Tamanho do texto

Uma Oram, de 18 anos, falava com uma tia quando a bateria do aparelho, que estava na tomada explodiu; ela sofreu lesões graves e faleceu no hospital

Celular da Nokia explodiu enquanto carregava; HMD Global, responsável pela produção, negou fabricação de dispositivo
Reprodução/Twitter
Celular da Nokia explodiu enquanto carregava; HMD Global, responsável pela produção, negou fabricação de dispositivo

Uma adolescente indiana morreu enquanto utilizava o telefone celular, que estava carregando na tomada. De acordo com informações do Daily Mail , Uma Oram, de 18 anos, conversava com uma tia quando a bateria do aparelho explodiu próximo à sua orelha. 

Leia também: Funcionário de fábrica indiana morre após ter mangueira de ar enfiada no reto

A jovem foi levada às pressas para um hospital em Kheriakani, no golfo de Bengala, mas morreu um tempo depois devido a lesões graves no peito, pernas e mão esquerda. Durga Prasad Oram relatou à mídia local que, logo depois da explosão, a irmã caiu inconsciente no chão. O  celular  era da marca Nokia, modelo 5233.

"Ela estava falando com nossa tia ao mesmo tempo em que o aparelho carregava. Foi tudo muito rápido, a bateria explodiu de repente. Assim que nos demos conta de que Uma estava inconsciente, corremos com ela para o hospital, onde acabou falecendo”, contou.

Depois da repercussão do caso, a HMD Global, responsável pela produção dos aparelhos da Nokia, se posicionou sobre o acidente, afirmando que o dispositivo móvel não foi produzido pela marca.

Leia também: Homem tem parada cardíaca e morre ao ficar com cabeça presa em assento de cinema

“Estamos profundamente entristecidos em saber do incidente envolvendo uma menina de 18 anos, na Índia. O dispositivo móvel em questão não foi fabricado ou vendido pela HMD Global, que se tornou responsável pelos aparelhos da Nokia somente em 2016, sendo que o dispositivo causador do acidente é de uma linha lançada em 2010. Permanecemos comprometidos em oferecer uma boa experiência e alcançar as expectativas dos consumidores com nossos produtos”, escreveu a empresa em nota oficial.

Outros casos

Na China, um ocorrido semelhante aconteceu em fevereiro deste ano, a pós a bateria de um celular explodir, deixando Meng Jisu, de 12 anos, cego e sem o dedo indicador da mão direita.

Segundo a mídia chinesa, a criança passou por uma cirurgia de cinco horas, ficando em observação no hospital da província de Guangxi. A irmã mais velha, que não teve o nome revelado, alegou ter encontrado o garoto todo ensanguentado e inconsciente depois de ouvir um estrondo muito alto.  

Leia também: Estudante fica com pálpebra presa em zíper e é socorrido por bombeiros na China

Já a mãe de Jisu, que também não foi identificada, relatou que o celular da marca Hua Tang pertencia a ela, e que foi repassado à criança ao comprar um novo aparelho. A empresa móvel Hua Tang, responsável pela fabricação do produto, não se pronunciou sobre o ocorrido.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.