Tamanho do texto

População deve escolher entre os 605 candidatos para a ilha, de onde sairá o nome que substituirá o líder Raúl Castro, de 86 anos, no mês de abril; veja

Cuba começa a se despedir de Raúl Castro: eleições legislativas iniciam processo para mudança do governo
Reprodução/Twitter Granma
Cuba começa a se despedir de Raúl Castro: eleições legislativas iniciam processo para mudança do governo

Cuba começa a se despedir da 'era Castro' neste domingo (11), quando mais de oito milhões de pessoas devem participar das eleições legislativas e, assim, escolher a formação do novo Parlamento da ilha. Conforme acontece a cada cinco anos, a população deve escolher entre os 605 candidatos para a Assembleia Nacional do Poder Popular , além de 1.265 delegados das chamadas assembleias provinciais.

Leia também: Parlamento da China aprova emenda e dá poder vitalício ao presidente Xi Jinping

Depois de escolhido o novo Parlamento de Cuba , o nome do sucessor de Raúl Castro, de 86 anos, deverá ser indicado, em abril, pelos deputados eleitos, marcando a primeira vez, desde a Revolução Cubana, em 1959, que alguém que não tenha o sobrenome do líder comunista e que não participou efetivamente do evento histórico será escolhido para estar à frente do poder da ilha. 

“O próximo presidente poderá não ter o sobrenome, mas será, sem dúvida, um filho da Revolução, a de Fidel Castro, Raúl Castro … formado nela e a seguirá levando adiante junto ao povo de Cuba”, afirmou o ministério das Relações Exteriores no Twitter. 

O nome mais provável para substituir o atual líder comunista é o o atual primeiro vice-presidente, Miguel Díaz-Canel, de 57 anos. 

Os milhares de colégios eleitorais espalhados pelo território cubano abriram as portas às 7h da manhã locais (8h no horário de Brasília), segundo informa o "Granma", jornal oficial do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba. As eleições se encerram às 18h locais. 

Leia também: Colômbia se prepara para eleição legislativa, a primeira após acordo com as Farc

De acordo com o veículo, Raúl Castro registrou seu voto na cidade de Santiago de Cuba, cerca de 900 km da capital Havana, e foi o primeiro a votar em seu colégio eleitoral. 

Os números das eleições cubanas

Ainda segundo o "Granma", dos candidatos ao Parlamento, 40,66% são negros e mestiços; 53,22% são mulheres (o que faz que seja o segundo com maior participação feminina do mundo); 86% têm ensino superior formado; e 13,2% têm entre 18 e 35 anos.

Cuba registra uma média de 90% de participação nas eleições, apesar de voto não ser obrigatório
Reprodução/Twitter Granma
Cuba registra uma média de 90% de participação nas eleições, apesar de voto não ser obrigatório

Para votar, é preciso ter mais de 16 anos, ser cidadão cubano, ter residência fixa na ilha há mais de dois anos, estar inscrito no registro dos eleitores, e estar capacitado em cumprir o direito ao voto. 

Leia também: Reunião histórica entre Trump e Kim Jong-un é vista com otimismo; veja reações

Apesar de o voto não ser obrigatório, Cuba registra uma média de 90% de participação nas eleições, já que não participar é mal visto socialmente.