Tamanho do texto

Presidente dos Estados Unidos fez um telefonema para o líder da Coreia do Sul, Moon Jae-ine, reforçando que está disposto a dialogar com Pyongyang, porém mantém oposição ao programa nuclear norte-coreano de Kim Jong-un

Em um telefonema ao presidente sul-coreano, Donald Trump expressou sua abertura para conversar com a Coreia do Norte
Reprodução/CNN
Em um telefonema ao presidente sul-coreano, Donald Trump expressou sua abertura para conversar com a Coreia do Norte

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que está aberto a um diálogo direto com a Coreia do Norte, mas ressaltou que também está disposto a aplicar "pressão máxima" sobre o programa nuclear de Pyongyang.

Em um telefonema ao presidente sul-coreano, Moon Jae-in, Donald Trump expressou sua abertura para conversar com a Coreia do Norte "no momento apropriado e nas circunstâncias corretas". Moon informou Trump sobre as conversas de se u governo com uma delegação do Norte na terça-feira(9), o que resultou em Pyongyang concordando em enviar uma delegação aos Jogos Olímpicos de Inverno em Pyeongchang no próximo mês.

O governo Trump tem dito que prefere uma solução diplomática para a crise, mas que todas as opções estão sendo consideradas, inclusive uma ação militar. Washington tem insistido que qualquer diálogo futuro só deve ocorrer se o país norte-coreano desistir de suas armas nucleares, algo que Pyongyang não aceita.

Em sua conversa telefônica nesta quarta-feira (10), Trump também disse à Moon que o vice-presidente Mike Pence lideraria a delegação dos EUA nos Jogos Olímpicos.

Leia também: Donald Trump pede US$ 18 bilhões para construir muro na fronteira com o México

Jogos Olímpicos

Pyongyang deve enviar uma delegação de 400 a 500 pessoas, entre funcionários de alto escalão, jornalistas, atletas, torcedores e equipes de demonstração de taekwondo para os Jogos de Inverno de PyeongChang, na Coreia do Sul.

A estimativa foi anunciada nesta terça-feira (10) pelo primeiro-ministro sul-coreano, Lee Nak-yeon, em encontro com os patrocinadores das Olimpíadas. Os detalhes do tamanho da delegação devem ser definidos nos próximos dias.

A participação de Pyongyang nos Jogos de Inverno foi anunciada em uma reunião entre os dois países na última terça-feira (9), sem a presença de representantes dos Estados Unidos .

A reaproximação aconteceu após o líder norte-coreano, Kim Jong-un, ter desejado "sucesso" na realização das Olimpíadas, que acontecerão entre 9 e 25 de fevereiro.

Leia também: Governo dos EUA pode expulsar 200 mil salvadorenhos do país

A participação da Coreia do Norte será discutida pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), em uma reunião marcada para 20 de janeiro. “Na reunião, serão tomadas várias decisões essenciais, incluindo o número e os nomes dos atletas e autoridades do Comitê Olímpico da República Democrática Popular da Coreia, já que todos os prazos para registro já se esgotaram”, informou o COI em um comunicado na quarta-feira (10).

* Com informações da Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.