Tamanho do texto

A China executa mais pessoas do que o restante do mundo todo somado; as sentenças públicas estavam 'desaparecidas', mas estão sendo "reavivadas"

Embora as audiências de sentença ao ar livre sejam raras na China, elas têm sido reavivadas em algumas áreas
Reprodução/The Guardian
Embora as audiências de sentença ao ar livre sejam raras na China, elas têm sido reavivadas em algumas áreas

Uma corte na China sentenciou dez detentos à morte em frente a milhares de pessoas, que se reuniram em um estádio de futebol para “assistir” ao momento mórbido. Após a sentença, os condenados foram levados para outro lugar para que fossem executados.

Leia também: Ataque terrorista em igreja cristã mata ao menos nove pessoas no Paquistão

Segundo o jornal “The Guardian”, as dez pessoas foram executadas imediatamente depois da sentença anunciada no estádio, em Lufeng, no sul da província Guangdong, na China , a 160 km de Hong Kong. Sete pessoas foram condenadas por crimes ligados ao tráfico de drogas, enquanto as outras três haviam sido presas por crimes de roubo e assassinato.

Para a sentença pública, os moradores locais foram convidados quatro dias antes para ir ao evento em uma nota oficial que circulou via internet. Os acusados foram levados ao estádio em caminhões da polícia, que tinham as sirenes ligadas e estavam ocupados por policiais com óculos de sol. Assim que chegaram ao local, os detentos foram encaminhados a uma espécie de palco, onde ouviram suas sentenças serem proferidas no microfone.

Leia também: Tempestade nas Filipinas afeta 200 mil pessoas e causa pelo menos três mortes

Como se não bastasse, a multidão reunida em torno dos sentenciados gravou vídeos e tirou fotos do momento pelos celulares. Ainda foi possível ver pessoas fumando e conversando durante o evento.

Execuções no país

A China executa mais pessoas por ano do que todo o resto do mundo junto. Isso pelos números que são divulgados, podendo ser muito maior, uma vez que o governo do país guarda alguns “segredos de Estado”. Somente no ano passado, houve duas mil sentenças de morte, de acordo com a estimativa realizada pela Fundação Dui Hua, ONG de Direitos Humanos localizada nos Estados Unidos. Além disso, o país asiático mantém a penalidade de morte para crimes como tráfico de drogas e mesmo os chamados crimes “econômicos”, como corrupção.

Leia também: Piñera vence candidato da esquerda no 2º turno e é eleito presidente do Chile

Embora as audiências de sentença ao ar livre sejam raras na China, elas têm sido reavivadas nos últimos anos em algumas áreas, principalmente para casos de terrorismo na região oeste do país, Xinjiang. Uma multidão de sete mil pessoas assistiu à sentença de 55 detentos em 2014, na qual pelo menos uma pessoa foi condenada à morte.

*As informações são do "The Guardian"

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.