Tamanho do texto

Democratas pedem que presidente dos EUA seja investigado; até o momento, ele já foi denunciado por comportamento sexual impróprio por 16 mulheres; Trump afirmou em seu Twitter que as notícias são falsas

Em uma rede social, Trump afirmou que as denúncias são
Reprodução/Twitter
Em uma rede social, Trump afirmou que as denúncias são "falsas acusações e histórias inventadas"

Nesta terça-feira (12), mais de cem congressistas democratas se uniram para pedir uma investigação do presidente dos Estados Unidos Donald Trump por várias acusações de assédio sexual, denunciadas por 16 mulheres.

Leia também: Trump é acusado de tentar beijar ex-apresentadora da Fox News na boca

O número de apoiadores para que Trump seja investigado era de 54 na segunda-feira (11), quando três mulheres afirmaram ter sido assediadas sexualmente por ele, antes de sua candidatura à Presidência. E hoje as legisladoras ganharam o apoio de seus colegas de partido homens, ultrapassando cem pessoas exigindo que o chefe de Estado seja investigado.

“O abuso sexual não será tolerado, seja por um produtor de Hollywood, um chefe de restaurante, um membro do Congresso ou o presidente dos EUA”, declarou a deputada democrata Lois Frankel. “Nenhum homem ou mulher está acima da lei”, completou ela.

A deputada Brenda Lawrence também falou sobre a acusação.  “Por muito tempo, a responsabilidade pelos próprio atos não vem sendo uma prioridade, e o mau comportamento tem passado impune. Por muito tempo, vozes corajosas fracassaram por causa de ouvidos surdos, e este tempo agora acabou”.

Questionado, o líder da Casa Branca afirmou que as denúncias são “falsas acusações e histórias inventadas”.

Leia também: Premiê de Israel pede que Europa 'siga o exemplo de Trump' sobre Jerusalém

Denúncia

Jessica Leeds, Rachel Crooks e Samantha Holvey denunciaram o presidente norte-americano quando estava em campanha presidencial de 2016 e apareceram na emissora de televisão nacional NBC pedindo que ele fosse responsabilizado pelo que fez.

Leeds afirmou que Trump a apalpou em um voo comercial, Crooks, ex-recepcionista na Torre Trump de Nova York, contou que ele a beijou na boca em 2005, quando ela tinha 22 anos, e Howlvey alega que o presidente chegou a aparecer nos bastidores do concurso de beleza Miss Estados Unidos, quando ela e outras mulheres estavam nuas.

Trump, por sua vez, tuitou sobre o caso nesta terça-feira. “Apesar das milhares de horas desperdiçadas e dos milhões de dólares gastos, os democratas não conseguiram mostrar nenhum conluio com a Rússia e agora estão passando para as acusações falsas e histórias inventadas de mulheres que não sei quem são e/ou nunca conheci. NOTÍCIAS FALSAS”.

Leia também: Trump declara estado de emergência após primeira morte em incêndio na Califórnia

    Leia tudo sobre: Donald Trump