Episódio aconteceu em 2005 quando Juliet Huddy visitava o magnata na Trump Tower; relembre outros casos de assédio relacionados ao republicano

Donald Trump foi acusado de 'tentar beijar os lábios' da ex-apresentadora da Fox News Juliet Huddy
Reprodução/U.S. News
Donald Trump foi acusado de 'tentar beijar os lábios' da ex-apresentadora da Fox News Juliet Huddy

Não é novidade para ninguém que o presidente dos Estados Unidos , Donald Trump, tenha um mal relacionamento com a imprensa norte-americana e um histórico polêmico com mulheres. Porém, neste sábado, o magnata se tornou alvo de uma denúncia que envolve ambos.

Leia também: Veja tudo sobre Donald Trump no iG

Afinal, a ex-apresentadora da  Fox News  Juliet Huddy acusou, hoje, Donald Trump de ter 'tentado beijar os seus lábios'.  O caso, segundo ela, teria acontecido em 2005, mesmo ano em que o presidente dos Estados Unidos se casou com a atual primeira-dama, Melania. 

Juliet conta que o assédio sexual aconteceu dentro de um dos elevadores da Trump Tower, quando a jornalista foi convidada para um almoço na casa do magnata. Na época, Trump comandava o popular programa  O Aprendiz.

De acordo com Juliet, no momento dos cumprimentos no elevador, mesmo com a presença de um segurança, Trump tentou beijá-la na boca. Na ocasião, ela diz que não se sentiu ofendida, mas que hoje vê o que aconteceu com uma perspectiva diferente.

"Eu disse secamente: Não. Mas depois me desculpei", disse Juliet, ressaltando que ainda era jovem e ficou um pouco "chocada", mas não ofendida.

Histórico de assédio

Esta não é a primeira vez que o republicano é alvo de denúncias relacionadas a cenas de assédio sexual. 

Poucas semanas antes das eleições que o elegeram o atual presidente dos Estados Unidos, Trump foi alvo de pelo menos quatro denúncias

Essas mulheres procuraram a imprensa norte-americana para acusar o então candidato do Partido Republicano, em outubro do ano passado. Em matérias publicadas no dia 13, as vítimas acusaram o candidato de tê-las tocado e beijado sem o consentimento delas.

Os relatos se referiam a acontecimentos ocorridos entre 11 e 30 anos atrás. Um dos depoimentos foi o de Jessica Leeds, que hoje tem 74 anos. Ao jornal The New York Times , Jéssica afirmou ter sido molestada em um voo para Nova York.

Ainda na mesma publicação, o jornal contou o relato de Rachel Crooks, que afirmou ter sofrido assédio do magnata quando trabalhava como secretária do edifício Trump, no centro de Nova York.

Na ocasião das acusações, em mensagem publicada no Twitter, Trump negou a versão das duas mulheres . "A história é falsa. Uma fabricação total", disse.

Uma das vítimas não precisou ir muito longe para atingir a mídia: a repórter Natasha Stoynoff escreveu, ela mesma, para a revista  People  um artigo em que relata que foi assediada durante o período em que cobria acontecimentos relacionados a Trump, há 12 anos. Ela conta que uma vez chegou a ser empurrada contra a parede e forçada a beijar o empresário.

Essa história também foi negada pelo republicano no Twitter, que chegou a indagar por que ela não escreveu sobre o assunto há 12 anos, quando trabalhava para a revista. Em uma auto-resposta, ele completa: "porque não aconteceu".

No quarto relato, o jornal Palm Beach Post publicou a história de Mind McGillivray, hoje com 36 anos, que também afirma ter sido "acariciada por Trump", sem ter dado consentimento para isso. Segundo ela, o assédio foi há 13 anos, quando estava em Mar-a-Lago, em Palm Beach, na Flórida, enquanto auxiliava um colega em um trabalho de fotografia.

Leia também: Países do Conselho de Segurança da ONU criticam decisão de Trump sobre Jerusalém

Essa última denúncia, ocorrida neste sábado, vem a público em um momento delicado. Afinal, Donald Trump pede aos eleitores, atualmente, que votem no republicano Roy Moore para uma vaga no Senado, mesmo após acusações de assédio sexual contra o candidato.

* Com informações da Agência Ansa.

    Leia tudo sobre: donald trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.