undefined
Reprodução/Twitter
Mais de 50 pessoas morreram no tiroteio que aconteceu, nesta madrugada, em Las Vegas

Depois do maior tiroteio em massa da história dos Estados Unidos atingir a cidade de Las Vegas, no estado de Nevada , o Departamento de Segurança Nacional dos Estados Unidos (DHS) informou, nesta segunda-feira (2), que descarta possíveis ameaças imediatas de atentados em outras cidades do país. 

"Neste momento, não temos informações que indiquem nenhuma ameaça crível específica em outros locais públicos do país", indicaram as autoridades em um comunicado após o tiroteio em Las Vegas . O DHS apontou contudo que, em todo caso,  medidas de segurança serão reforçadas em locais públicos e as forças da ordem tomarão precauções adicionais. 

O que se sabe sobre tiroteio

A ação de um atirador na madrugada desta segunda-feira, no horário de Brasília, deixou pelo menos 58 mortos e mais de 500 pessoas feridas em Las Vegas, um dos destinos turísticos mais procurados dos Estados Unidos e do mundo. O número atualizado das vítimas foi informado pelo xerife Joe Lombardo, em coletiva na tarde de hoje.

O violento ataque aconteceu durante o Route 91 Harvest Festival, evento de música country que era realizado próximo do hotel e cassino Mandalay Bay, na Las Vegas Boulevard, uma das vias mais movimentadas da cidade e repleta de turistas. 

No momento do ataque, o cantor country Jason Aldean estava no palco. O artista comentou que ele e sua equipe não foram feridos, mas que "dói no coração que isso tenha acontecido com pessoas que estavam apenas curtindo o que era para ser uma noite divertida".

 O grupo terrorista Estado Islâmico reinvidicou a autoria do atentado horas depois, mas as autoridades norte-americanas não confirmaram a ligação do ataque com motivações extremistas islâmicas. 

Os nomes das vítimas ainda não foram divulgados, mas a imprensa local informa que policiais que estavam de folga estão entre os mortos e feridos.  Em entrevista coletiva, o xerife Joe Lombardo informou que o atirador, identificado como Stephen Paddock  , um homem branco, morador de Vegas, de 64 anos, cometeu suicídio quando foi flagrado pela polícia , no 32° andar do Mandalay Bay – de onde ele efetuou os disparos – e que ele agiu sozinho.

"Ato de pura maldade"

O presidente americano, Donald Trump , classificou o maior massacre a tiros da história do país como um "ato de pura maldade". Em um pronunciamento oficial, o mandatário republicano disse ainda que o FBI  vai ajudar nas investigações a respeito do tiroteio ocorrido em Las Vegas.  



    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários