Tamanho do texto

Ri Yong Ho afirmou, na ONU, que país deve responder à altura as ameaças do presidente norte-americano; Trump tuitou sobre o tema no último sábado

Em seu discurso de estreia da Assembleia Geral da ONU, Donald Trump, ameaçou 'destruir a Coreia do Norte'
Reprodução/Twitter
Em seu discurso de estreia da Assembleia Geral da ONU, Donald Trump, ameaçou 'destruir a Coreia do Norte'

O ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, acusou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de declarar a guerra a seu país, em referência aos tuites feitos pelo republicano durante o fim de semana, afirmando que “a Coreia do Norte não durará por muito tempo”. 

Leia também: Donald Trump envia bombardeiros para sobrevoar a Coreia do Norte

“No fim de semana passado, Donald Trump afirmou que nossa liderança não duraria por mais tempo, declarando guerra ao nosso país”, disse Ri Hong Ho, de acordo com o tradutor oficial aos repórteres de Nova York. “Desde que os Estados Unidos declararam guerra à Coreia do Norte, nós temos todo o direito de seguir medidas de autodefesa, incluindo o direito de enviar bombas estratégicas contra o território norte-americano a qualquer hora, enquanto ainda não estão dentro de nosso espaço aéreo”, completou.

Um porta-voz da Casa Branca afirmou nesta segunda-feira (25) que o governo dos EUA não irá comentar as ameaças do ministro norte-coreano.

A tensão entre os dois países já dura semanas, com trocas verbais de ameaças acontecendo quase que diariamente. No último sábado (23), as forças militares norte-americanas realizaram um exercício para demonstração de força com um bombardeio no espaço aéreo internacional, em área a leste da península coreana.

Em discurso na ONU no sábado, o ministro norte-coreano disse que o presidente americano realizou um ataque de míssil que “insultou a dignidade” de seu país. “Ninguém senão Trump está em uma missão suicida”, afirmou na Assembleia Geral. “Caso vidas inocentes dos Estados Unidos paguem por causa desse ataque suicida, Trump será totalmente responsável”.

Leia também: Líder da extrema-direita da Alemanha diz que vai 'devolver país aos alemães '

Depois da mensagem transmitida por Ho, o presidente norte-americano respondeu pelo Twitter, na noite de sábado. “Acabo de ouvir o ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte falar na ONU. Se ele faz eco dos pensamentos do ‘Pequeno Homem Foguete’, não permanecerão por muito mais tempo!”, escreveu.

China pede calma

O governo chinês pediu nesta segunda-feira à Coreia do Norte e aos EUA para acabarem com a escalada de ameaças e provocações e exortou-os a “parar de jogar gasolina no fogo”, após um novo episódio de tensão dialética no fim de semana passado na Assembleia Geral da ONU. 

Leia também: Governo atualiza dados e número de mortos em terremoto no México chega a 318

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Lu Kang, disse que "a situação [na península coreana] continua muito complexa", na sequência da recente troca de ameaças entre o chefe diplomático norte-coreano Ri Yong-ho e o presidente dos Estados Unidos Donald Trump. “Ambos os lados devem abster-se de aumentar as tensões com suas palavras e ações, não se provocando, mantendo a calma e não provocando emoções, mas procurando uma saída para o problema”, disse o porta-voz chinês.

 *Com informações da CNN e da Agência Brasil

    Leia tudo sobre: Donald Trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.