A mensagem de Vladimir Putin acontece em meio ao agravamento das tensões entre os EUA e a Coreia do Norte
CARLOS BARRIA/TRUMP
A mensagem de Vladimir Putin acontece em meio ao agravamento das tensões entre os EUA e a Coreia do Norte

O presidente da Rússia Vladimir Putin afirmou, nesta sexta-feira (01), que a crise da Coreia do Norte está à beira de um “conflito de larga escala”. Segundo um artigo assinado pelo líder russo, que foi publicado em diversos países por ocasião da Cúpula dos BRICs, ele admite que a situação na península coreana se agravou nos últimos meses, ainda defendendo que o problema não pode ser resolvido apenas com sanções ou com a pressão internacional em relação ao governo de Kim Jong-un.

Leia também: Temer encontra Xi Jinping e assina acordos 'positivos para o Brasil' com a China

“Na opinião da Rússia, é errônea e fútil a aposta de conseguir pôr fim ao programa de mísseis nucleares da República Popular Democrática da Coreia apenas através de pressão sobre Pyongyang”, defendeu Vladmir Putin .

O líder de Moscou ainda acredita que seja necessário resolver os problemas da região por meio do diálogo direto entre todas as partes envolvidas na questão, sem que sejam colocadas “condições prévias”. Ainda na mensagem divulgada hoje, “provocações, pressão, retórica beligerante e ofensiva levam a um beco sem saída”, escreveu.

Putin ainda afirmou que a Rússia e também sua aliada China já criaram um cronograma comum voltado para a península coreana, o qual teria sido projetado “para promover a progressiva redução das tensões e favorecer o mecanismo de paz e segurança duradouras”.

Leia também: EUA, Coreia do Sul e Japão se unem em resposta a novo míssil da Coreia do Norte

Você viu?

Há dez anos, a Coreia do Norte realiza testes de mísseis – o que é visto como uma intimidação aos Estados Unidos (além de países vizinhos, como a Coreia do Sul e o Japão). Porém, recentemente, a mando de Kim Jong-un, esses testes têm se tornado mais frequentes, assim como a troca de ameaças aos “inimigos”. Nos últimos meses, Pyongyang intensificou as atividades nucleares – e, nessa semana, lançou um míssil balístico que sobrevoou o território japonês.

Apesar de a Rússia ser adversária política e ideológica dos Estados Unidos desde a Guerra Fria, o governo russo tem demonstrado preocupações com as ações de Kim Jong-un, já que podem ser vistos como perigosos, desencadeando uma guerra na região – e envolvendo grandes potências militares, tais como China e Japão.

Vale lembrar que a Coreia do Norte já vem sofrendo sanções de diversos países ocidentais, também pelas Nações Unidas, mas isso não foi suficiente para que recuassem em seus planos relacionados aos testes nucleares e de mísseis balísticos.

Leia também: Trump surpreende e anuncia que irá expandir intervenção militar no Afeganistão

A mensagem de Vladimir Putin acontece em meio ao agravamento das tensões trocadas entre o presidente americano, Donald Trump, e o presidente norte-coreano, Kim Jong-un. Os Estados Unidos chegaram a afirmar que “todas as opções seriam analisadas para conter a Coreia do Norte”.

*As informações são da Agência Ansa

    Leia tudo sobre: Donald Trump

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários