Tamanho do texto

Número de vítimas fatais após motorista de van avançar contra pedestres em Barcelona aumentou com a morte de uma mulher ferida nesta sexta-feira

Polícia de Barcelona confirmou que o caso de atropelamento em Las Ramblas se trata de um atentado terrorista
Reprodução/El Periodico
Polícia de Barcelona confirmou que o caso de atropelamento em Las Ramblas se trata de um atentado terrorista

Ao menos 14 pessoas morreram e outras 130 ficaram feridas após o motorista de uma van avançar contra pedestres na manhã desta quinta-feira (17) em Barcelona, na Espanha. O número de vítimas fatais aumentou com a morte, nesta sexta-feira, de uma mulher ferida do atentado.

Leia também: Atentado em shopping de Bogotá, na Colômbia, tem três mortos e 11 feridos

Segundo o presidente Catalão, Carles Puigdemont, dois homens foram presos, suspeitos pelo ataque na região de Las Ramblas, área turística no centro de Barcelona . O local é uma das vias mais importantes e movimentadas da cidade e estava repleto de turistas. Nesta sexta-feira, outros dois suspeitos foram presos, totalizando quatro.

O jornal  La Vanguardia , cuja sede fica na cidade atacada, um dos autores do atentado teria morrido em um tiroteio com a Polícia em Sant Just Desvern, cidade situada a cerca de 10 quilômetros da capital catalã. Ainda não se sabe sua identidade. Com isso, pelo menos três pessoas estariam envolvidas com o atentado terrorista de hoje. 

Ainda de acordo com o  El País , o grupo terrorista Estado Islâmico revindicou a autoria do atentado desta quinta-feira . O homem que foi preso se chamaria Driss Oukabir Soprano, e seria o principal suspeito do atentado. Fichado pela polícia, ele é residente legal da Espanha e nasceu em 1989, em Marrocos. 

Segurança no local

Logo após o atropelamento em massa, os agentes de segurança pediram que o local fosse evacuado e evitado pelos pedestres. Todas as lojas e barracas de comércio da zona foram fechadas. As autoridades catalãs também pediram o fechamento das estações do metrô e de trens nesta praça, em pleno centro da capital catalã.

Fotografia divulgada pela Polícia Nacional, do suspeito que foi detido após o atentado em Barcelona
Divulgação/Polícia Nacional da Espanha
Fotografia divulgada pela Polícia Nacional, do suspeito que foi detido após o atentado em Barcelona

Segundo o jornal El País , o motorista da van fugiu depois de atropelar as vítimas. Ainda segundo as informações, um dos suspeitos, um homem de 1,70 metro de altura, estava vestido com camisa de cor branca com listras azuis.

Leia também: Homem explode carro próximo ao Palácio do Eliseu, e França já fala em terrorismo

De acordo com os depoimentos publicados nas redes sociais, a van invadiu a calçada e chegou a atropelar dezenas de pessoas. Nos arredores da avenida e da praça da Catalunha as pessoas viveram cenas de pânico, com muitos correndo assustados e se refugiando em lojas após o incidente.

Ainda de acordo com o jornal local, um dos dois suspeitos teria se escondido dentro de um restaurante chamado Aromas de Istambul, localizado na própria rua La Rambla. No entanto, a polícia negou a informação, afirmando que não havia nenhum "suspeito entrincheirado".


A organização empresarial Turismo de Barcelona divulgou, por meio da imprensa local, que está oferecendo acomodação nos hotéis da cidade aos turistas que estavam hospedados na zona que está bloqueada e que não podem voltar para os quartos que alugaram. 

Entenda as fotos de gatos com a #Barcelona

Um vídeo que mostra as vítimas do atentado terrorista agonizando no chão do local do ataque chegou a ser publicado nas redes sociais e foi compartilhado por parte dos internautas. A maioria dos internautas, no entanto, criticaram as imagens, culpando o vídeo de estar "colaborando com o terrorismo". 

"Entro no Twitter e vejo que alguém gravou os feridos do atentado na Espanha, mas não se deu ao trabalho de ajudá-los! Denunciem!", escreveu uma das internautas.

Leia também: Ao menos 37 pessoas morrem após ação do governo em prisão na Venezuela

Para que tais imagens sejam perdidas na rede social, os internautas começaram uma campanha em que publicam fotos de gatos, acompanhadas da hashtag #Barcelona. A intenção dos usuários do Twitter é que as imagens do vídeo não apareçam entre as últimas imagens compartilhadas sobre o ataque em Las Ramblas. 

* Com informações de agências internacionais.