Tamanho do texto

Presidente norte-americano ofereceu aliança e pediu para que líderes expulsem extremistas de seus lugares de oração e das suas comunidades

Donald Trump e o rei saudita anunciaram ainda criação de um centro para combater o financiamento do terrorismo
Divulgação/Facebook/Donald J. Trump
Donald Trump e o rei saudita anunciaram ainda criação de um centro para combater o financiamento do terrorismo

Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, fez neste domingo (21) um discurso para 55 líderes de países muçulmanos, aos quais pediu para que expulsem extremistas das seus territórios e se unam ao governo americano para conquistar um futuro melhor" para todos.

Leia também: Polícia faz operação para combater tráfico de drogas na Cracolândia

"Não estamos aqui para ensinar nem para lhes dizer como viver, o que fazer ou como praticar a sua fé. Em vez disso, oferecemos uma aliança baseada em valores e interesses comuns, com o fim de conseguir um futuro melhor", disse Donald Trump em Riad, na Arábia Saudita, onde faz visita oficial.

Durante a reunião de cúpula na capital saudita, o presidente americano também pediu aos aliados que expulsem extremistas dos "seus lugares de oração, das suas comunidades e da terra santa".

"Os EUA estão preparados para lutar junto com eles em busca da segurança e dos interesses comuns", declarou Trump aos participantes, entre eles de países de África, Ásia e do Oriente Médio.

Leia também: OAB decide protocolar pedido de impeachment de Temer

O rei saudita Salman bin Abdulaziz e Trump anunciaram ainda a criação de um centro, com sede em Riad, para combater o financiamento do terrorismo, do qual participarão também os países do Conselho de Cooperação do Golfo.

Trump ainda acusou um inimigo comum, o Irã, de desestabilizar o Oriente Médio e responsabilizou o país por "tudo o que está acontecendo na Síria "e de apoiar os indescritíveis crimes" do presidente do país árabe, Bashar Al Assad.

Ao longo de seu discurso, o presidente norte-americano lamentou a situação no Oriente Médio, que era antes "um lugar de paz e de tolerância" no qual as religiões conviviam. Ele lembrou que 65% da população da região têm menos de 30 anos e que, com isso, existe "um grande futuro para ser construído", caso não sofra com conflitos e o derramamento de sangue.

Leia também: Mega-Sena acumula pela quinta vez e pode pagar até R$ 34 milhões

O mandatário dos Estados Unidos chegou na última sexta-feira (20) a Riad para uma visita de dois dias. Esta é a primeira viagem de Donald Trump ao exterior desde que chegou à Casa Branca e inclui escalas em Israel, na Palestina, no Vaticano, na Bélgica e Itália.

*Com informações da Agência Brasil

    Leia tudo sobre: Donald Trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.