Tamanho do texto

Após suspeita de terrorismo, em dia de eleições presidenciais na França, mais de 50 mil policiais foram às ruas para garantir a segurança dos eleitores

Desde atentado em novembro de 2015, França está sob estado de emergência e teme novos ataques terroristas
shutterstock/Reprodução
Desde atentado em novembro de 2015, França está sob estado de emergência e teme novos ataques terroristas

Na última terça-feira (2) quatro jovens foram detidos na França, por suspeita de estarem envolvidos em um esquema de ataque terrorista. Eles foram surpreendidos em diversos cantos do país após envolvimento com um vídeo do grupo extremista Estado Islâmico (EI). Os acusados foram presos, segundo fontes da Promotoria de Paris contaram à Agência Efe neste domingo (7).

Leia também: Polícia francesa evacua pátio do Museu do Louvre, onde Macron faria discurso

Ainda de acordo com a informação, os quatro foram acusados de associação ao terrorismo criminosa e estão presos provisoriamente. O líder do grupo era um homem de 20 anos, convertido ao islã e preso em Roanne.

Os outros integrantes eram uma mulher, um jovem de 17 anos e outro homem. De acordo com as investigações, eles estavam em contato por meio do aplicativo de mensagens Telegram, que permite a codificação das conversas.

Eles foram encontrados por conta de mensagens que citavam um vídeo de lealdade ao EI, que sugeria uma preparação de atentado em território francês.

No início da operação, cinco pessoas haviam sido presas em Roanne, em Villeneuve d’Asq e em Ruan. Sendo um deles, meio-irmão do menor detido, liberado pela Justiça sem acusações.

Essa operação ocorreu de um desdobramento de outra investigação preliminar aberta pela Promotoria de Paris em março.

Leia também: Estado Islâmico ataca comboio da Otan no Afeganistão

Segurança

Por conta das ameaças de ataques terroristas, o segundo turno das eleições presidenciais na França realizadas neste domingo foram marcadas pelo forte esquema de segurança. O país está sob estado de emergência desde 13 de novembro de 2015, quando ocorreram os atentados terroristas em Paris e Saint-Denis.

Mais de 50 mil policiais e guardas militares fizeram a segurança para que a população pudesse votar com tranquilidade. O Ministério do Interior da França informou que a mobilização, que também teve a participação da guarda municipal, foi semelhante à feita no primeiro turno, em 23 de abril.

Na ocasião, nenhum incidente importante foi registrado. No entanto, a detenção há alguns dias de um radical que pretendia atacar uma base militar na Normandia mantém as forças de segurança em estado de alerta máximo.

Na última semana, cerca de dez pessoas já haviam sido presas na França e Bélgica, por suspeitas de fornecer armas aos terroristas que, em janeiro de 2015, realizaram um atentado contra a revista Charlie Hebdo e um supermercado judeu na França.

*Com informações da Agência Brasil

Leia também: Síria terá áreas seguras a partir deste sábado

    Leia tudo sobre: Estado Islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.