Tamanho do texto

Freio de mão falhou e carro começou a andar sozinho; a senhora tentou evitar, mas foi atropelada e ficou esmagada embaixo do veículo por dias

Senhora faleceu ao ser atropelada pelo próprio carro na garagem de sua casa
Reprodução/Twitter
Senhora faleceu ao ser atropelada pelo próprio carro na garagem de sua casa

Uma senhora passou nove dias morta em sua garagem após ser atropelada pelo próprio carro. Aos 76 anos, Jane Marion Lord tentou impedir que seu carro continuasse a andar sozinho, mas acabou sendo esmagada pelo veículo.

Leia também: Menino morre após ser esmagado em restaurante giratório dos EUA

A busca por Lord começou sem que ninguém soubesse que havia sido atropelada . Ela tinha sido vista pela última vez indo com seu carro a uma festa na casa de uma amiga. Dois dias depois, sua amiga Francesca Ross começou a procurá-la.

Primeiro, Ross ligou para a casa e não teve resposta. Depois, quando passou pelo local, constatou que não tinha ninguém e o carro estava na garagem. “Eu concluí que ela devia ter saído com algum amigo que dirigia, então fui embora”, disse ao The Mirror .

Preocupada, Ross voltou uma semana depois e invadiu a casa no País de Gales. Ela começou sua busca pelo jardim, mas seus dois cachorros não paravam de cheirar embaixo do carro, onde o corpo de Lord estava preso embaixo do banco do passageiro dianteiro.

Leia também: Sem dinheiro para cremação, português esconde cadáver de sua mãe por um mês

Segundo investigação, Lord provavelmente morreu esmagada enquanto tentava segurar o carro, que deslizava. O acidente provavelmente aconteceu depois da festa que tinha frequentado, quatro dias antes do Natal.

Aposentada, Lord tocava jazz como musicista amadora e se descrevia como “jardineira artística e pesquisadora de saúde”. Ela adorava seu carro. De acordo com a polícia, os ferimentos sofridos por ela indicam que foi feita uma tentativa de parar o veículo. Infelizmente, ela caiu e ficou prensada embaixo do automóvel.

Três cliques

A investigação apontou que o freio de mão do carro tinha sido puxado até somente três dos cinco “cliques” ideais. A senhora teria enfrentado dificuldades físicas para engatar o freio completamente.

Leia também: Em passeio na floresta, jovem acha homem desaparecido à beira da morte e o salva

“Nunca tinha dado errado antes, mas naquela noite o freio de mão falhou e não segurou [o carro] por razões que não conseguimos identificar”, disse o legista Peter Brunton. O veredito final constata que a senhora foi atropelada por acidente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.