Donald Trump não é favorável à ideia do bloco europeu e já expressou mais de uma vez a sua infelicidade com o grupo
Reprodução/ Facebook/ Donald Trump
Donald Trump não é favorável à ideia do bloco europeu e já expressou mais de uma vez a sua infelicidade com o grupo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, enviou nesta sexta-feira (24), uma mensagem felicitando a União Europeia pelo Tratado de Roma, um dos documentos da fundação do bloco que irá completar 60 anos neste sábado (25).

Leia também: "A imigração é um privilégio, não um direito", diz republicano em encontro com Merkel

"Os Estados Unidos esperam dividir com a União Europeia mais outros 60 anos de segurança e prosperidade. Os nossos dois continentes compartilham dos mesmos valores, e, principalmente, do mesmo empenho em prover a paz e a segurança por meio da liberdade, da democracia e da legalidade", afirma o comunicado de Trump .

A nota, pequena, de tom sério e sóbrio, foi escrita em um período no qual as relações bilaterais entre os Estados Unidos e a UE estão mais distantes. Essa piora se deu majoritariamente após a posse do magnata republicano à presidência norte-americana em 20 de janeiro deste ano.

O mandatário não é favorável à ideia do bloco europeu e já expressou mais de uma vez a sua infelicidade com o grupo. No começo do ano, por exemplo, o presidente norte-americano elogiou o Brexit e disse que o Reino Unido tem muita coragem e que soube fazer o que é "certo" ao anunciar seu rompimento com a União Europeia.

Você viu?

Leia também: Estado Islâmico reivindica autoria do atentado contra o Parlamento de Londres

Segundo o magnata, a UE é apenas um meio para que a Alemanha alcance seus objetivos, como o "erro catastrófico" que é, para ele, a política migratória da chanceler Angela Merkel. De acordo com o político, ele acredita que outros países poderão seguir o exemplo do Reino Unido e também decidir deixar o bloco.

Embaixador na UE

Defensor do "Brexit", Trump ensaia nomear para Bruxelas um embaixador contrário à própria existência do bloco. O magnata  havia indicado o norte-americano Ted Malloch para ser nomeado o embaixador dos EUA no grupo europeu. 

Leia também: "Paciência está no fim": EUA não descartam ação militar contra Coreia do Norte

A notícia foi duramente contestada e "vetada" pelos eurodeputados já que Malloch é conhecido por ser completamente eurocético, já tendo dito que o euro deve acabar em breve e que o Brexit é apenas o começo do fim da UE. O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, colocou o republicano na lista de principais "ameaças" à UE.

*Com informações da Ansa

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários