undefined
Reprodução/Facebook
Ao longo de suas visitas, Heather se aproximou cada vez mais de Dew, uma fêmea de guepardo que quase foi leiloada

Dizem que o cachorro é o melhor amigo do homem. Para a britânica Heather Tookey, seu verdadeiro fiel escudeiro é um guepardo. A jovem de 23 anos, que é voluntária em um santuário de felinos, ajudou a salvar a vida e “adotou” sua melhor amiga peluda.

Leia também: Projeto de lei de deputado ruralista descriminaliza abate de animais silvestres

Desde que fez 18 anos, Heather já foi sete vezes ao Cheetah Experience, lar de animais silvestres na África do Sul. Porém, nem todos os animais sob os cuidados da reserva pertence à reserva, entre eles estava Dew, a fêmea de  guepardo  com a qual Heather desenvolveu um forte laço afetivo.

undefined
Reprodução/Facebook
Quando soube que os animais seriam leiloados, a jovem decidiu fazer uma arrecadação para ajudar a comprar os guepardos

Quando o dono de quatro dos guepardos decidiu vender os animais a quem oferecesse a maior quantia, a jovem e alguns colegas decidiram juntar dinheiro e comprar os felinos eles mesmos, para que não fossem vendidos a caçadores e colecionadores.

Dew estava entre os felinos que seriam leiloados. Ela arrecadou cinco mil libras (pouco mais de R$ 19 mil) e “adotou” o guepardo. “Eles são tão amados e bem cuidados, partiria meu coração ver esses animais nas mãos erradas”, disse em entrevista ao The Sun .

Leia também: Disfarce? Estilo? Estudo descobre por que os pandas são pretos e brancos

undefined
Reprodução/Facebook
Na África do Sul, é comum animais silvestres serem leiloados a possíveis caçadores ou colecionadores para fins recreativos

“A venda de felinos para a caça é abundante na África do Sul. Nós tínhamos motivo para temer que os animais leiloados fossem vendidos a caçadores. Por isso tive a iniciativa de levantar fundos para o Cheetah Experience comprar os guepardos antes do leilão”, contou.

O afeto entre Heather e Dew é recíproco, com várias demonstrações do animal. “Ela adora me acariciar, dando beijos. Parece fofo, mas na verdade é bem doloroso! A língua dela é muito áspera e ela insiste em me beijar até eu não aguentar mais”, brinca a jovem.

Por mais que viva no Reino Unido, Heather pretende continuar visitando ao Cheetah Experience sempre que possível. Ela valoriza a relação que desenvolveu com os animais da reserva ao longo dos anos.

Leia também: Gigante! Cientistas acham fóssil de pinguim de 1,50 metros e 61 milhões de anos

“É incrível ter um laço tão forte entre humanos e animais silvestres. É completamente diferente da relação com um cachorro ou gato de estimação em casa”, falou sobre seu amor pelo guepardo. “Eu sei quão raro e especial é poder interagir e cuidar desses animais. A melhor forma de estabelecer um relacionamento com eles é não forçar”.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários