O lema da campanha contra a independência da Escócia, no referendo de 2014, era 'Não, obrigado'
Reprodução/BBC
O lema da campanha contra a independência da Escócia, no referendo de 2014, era 'Não, obrigado'

A primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, anunciou em Edimburgo, nesta segunda-feira (13), que pretende apresentar seus planos para um novo referendo de independência do Reino Unido ao Parlamento local na próxima semana. 

Leia também: Suprema corte britânica decide que parlamento deverá autorizar o Brexit

A proposta trata-se de uma resposta à aprovação do Brexit, processo de saída do Reino Unido da União Europeia, por parte do governo de Londres, após a premier britânica, Theresa May, já ter afirmado que não autorizará uma nova consulta popular na Escócia .

Sturgeon disse que se a ideia de um novo referendo for aprovada pelo Parlamento, a consulta poderá acontecer entre o outono (do hemisfério norte) de 2018 e a primavera de 2019, o que equivale ao período entre setembro de 2018 e junho de 2019.

A premier pedirá que a assembleia de Edimburgo vote a permissão para a criação de um novo referendo popular, depois que o de 2014 foi marcado pela perda dos separatistas.

Segundo Strugeon, desde a última consulta "as circunstâncias mudaram", referindo-se ao Brexit e ao fato de que a maioria dos escoceses votaram contra a saída do país da União Europeia.

Você viu?

Leia também: Merkel bate o pé e diz que decisão do Reino Unido de deixar UE é "irrevogável"

Além disso, a premier também disse que esta decisão é inevitável devido ao "muro de intransigência" que o governo de Londres ergueu contra a Escócia, que havia apresentado em Edimburgo uma série de soluções para manter o país no Mercado Único Europeu.

Notícia recebeu críticas britânicas

No entanto, a declaração da premier escocesa foi recebida com críticas pela administração britânica, que deve acionar o Artigo 50 do Tratado de Lisboa, e assim dar início formalmente ao Brexit, nos próximos dias.

Em nota, o governo de May disse que um novo referendo só causaria mais incerteza, relembrou o fracasso da última tentativa de separação da Escócia em 2014 e ainda afirmou que o Reino Unido só quer negociar o Brexit "no interesse de todas as nações".

Leia também: Escócia poderia vetar saída britânica da União Europeia, diz premiê

* Com informações da Agência Ansa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários