Tamanho do texto

Desde sexta-feira (24) a polícia italiana se viu ocupada com crimes violentos entre pais e filhos; felizmente, os culpados pelos três crimes já estão presos

Polícia precisou lidar com dois assassinatos e uma agressão entre pais e filhos entre sexta-feira (24) e domingo (26)
Wikimedia Commons
Polícia precisou lidar com dois assassinatos e uma agressão entre pais e filhos entre sexta-feira (24) e domingo (26)

Três casos de violência entre pais e filhos chocaram a Itália durante o final de semana. Entre sexta-feira (24) e domingo (26) foram descobertos dois assassinatos e uma agressão grave que aconteceu entre pais e filhos.

Leia também: Bombardeio de drone norte-americano mata genro de Osama bin Laden na Síria

O primeiro caso de violência foi o assassinato do empreendedor italiano Bruno Allio, na sexta-feira. O homem, que há anos morava na Venezuela, foi morto por seu filho. Tudo indica que Santiago Giovanni Allio Torres matou o pai para garantir sua herança.

De acordo com a mídia venezuelana, Bruno iria se casar oficialmente com a mãe de seu filho, uma servidora pública. Receoso por não ser mais o único herdeiro, Santiago decidiu impedir que o casamento acontecesse, assassinando o pai. Ele e um amigo, que foi cúmplice do crime, foram presos no sábado (25). Um terceiro suspeito está foragido.

Leia também: Enchentes afetam abastecimento e deixam milhões sem água potável no Chile

Já na noite do domingo (26), um equatoriano residente da Itália foi preso acusado de esfaquear sua filha no abdômen e nos braços. O próprio pai foi quem a levou ao hospital local, em Lavagna, na província de Gênova. No local, o homem afirmou que sua filha foi ferida em uma discussão com o vizinho.

Entretanto, depois de dar um depoimento cheio de contradições, o homem foi preso por agressão. Apesar de não ter confessado o crime, de acordo com os policiais, ele estava alcoolizado e em seu histórico criminal constavam denúncias de agressão contra sua esposa e seus filhos, menores de idade.

Leia também: Caminhonete atropela multidão e deixa 28 feridos em desfile de carnaval nos EUA

Pouco antes da meia-noite de segunda-feira (27) a polícia da província de Arezzo recebeu uma ligação de confissão de crime. “Meu nome é Giacomo Ciriello, vivo em Lucignano e matei meu pai”, disse o jovem de 18 anos ao telefone.

As autoridades italianas afirmam que Raffaele Ciriello, 51 anos, foi morto com dois tiros. A arma do crime já foi identificada como um fuzil e o autor do crime, filho da vítima, já se entregou à polícia pela violência contra seu pai.

*Com informações de Ansa Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.