Tamanho do texto

Tribunal considera que a celebração da data é "pretexto para disseminar a imoralidade, nudez e indecência”; país tem maioria da população muçulmana

Tribunal do Paquistão considera que o Dia dos Namorados representa tradições
Reprodução
Tribunal do Paquistão considera que o Dia dos Namorados representa tradições "vulgares e ocidentalizadas"

Um tribunal do Paquistão proibiu nesta segunda-feira (13) que sejam feitas comemorações públicas do Dia dos Namorados na capital do país, Islamabad. Trata-se de mais uma tentativa de impedir festas que a sociedade tradicional muçulmana considera como vulgares e ocidentalizadas. As informações foram divulgadas pela Agência France-Presse (AFP).

LEIA MAIS: Confirmada a morte das 47 pessoas a bordo de avião que caiu no Paquistão

Após o recebimento de uma petição, o Supremo Tribunal de Islamabad sentenciou que o amor nessa data é usado pela sociedade ocidental como um "pretexto para disseminar a imoralidade, nudez e indecência”, que, características que, segundo a Corte local, ferem as “ricas tradições e valores" do Paquistão . Celebrado por diversos países ocidentais ao redor do mundo em 14 de fevereiro, o Valentine's Day (Dia de São Valentim), equivale ao Dia dos Namorados, que no Brasil acontece em 12 de junho.

A decisão do Supremo foi comemorada pelos partidos islâmicos. Na medida, pede-se também aos meios eletrônicos e à imprensa que deixem de promover o Dia dos Namorados . Entretanto, mesmo com a proibição, alguns restaurantes de Islamabad continuam enviando mensagens e promovendo a data comemorativa.

LEIA MAIS: Suspeito detido por ataque terrorista em Berlim é refugiado paquistanês

No ano passado, o presidente paquistanês, Mamnoon Hussain, pediu à nação para que não celebrasse o Dia dos Namorados, ao afirmar que a data não pertencia à cultura muçulmana. Outros líderes de nações de maioria muçulmana já qualificaram essa comemoração como "vulgar e indecente".

Atentado contra cristãos

Em março do ano passado, um atentado reivindicado por um grupo talibã deixou pelo menos 65 mortos e 300 feridos na cidade paquistanesa de Lahore. Os alvos faziam parte da minoria cristã no país e celebravam o fim de semana da Páscoa. Após o ataque, um porta-voz da facção terrorista enviou mensagem ao governo local confirmando que a intenção era exterminar os cristãos.

LEIA MAIS: Após bombardeios russos, Estado Islâmico é expulso de cidade histórica na Síria

A maior parte das vítimas eram mulheres e crianças, já que o atentado foi cometido por um homem-bomba em uma área dentro de um parque que era reservada à recreação. Na ocasião, os demais parques da cidade, que é a segunda maior do Paquistão, foram fechados para evitar que novos ataques fossem feitos.


* Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.