A partir desta sexta-feira (05), concessionárias de veículos e escritórios de advocacia e contabilidade podem voltar a funcionar com atendimento ao público na cidade de São Paulo . O funcionamento dos mesmos estava proibido por causa da quarentena adotada para conter a propagação da Covid-19

Leia também: Pandemia de Covid-19 está desacelerando em São Paulo, diz secretário

Prefeito de São Paulo Bruno Covas
Agência Brasil/Rovena Rosa
Prefeito de São Paulo Bruno Covas

De acordo com o protocolo acertado com a prefeitura, as concessionárias terão de controlar o acesso aos estandes de vendas para evitar aglomerações, implantar uma escala de revezamento dos funcionários respeitando o limite de 20%, garantir o uso de máscara e álcool gel pelos funcionários e o fornecimento de equipamentos de proteção individual para os clientes.

Leia também: SP tem 272 mortes por Covid-19 em um dia e total de óbitos passa de 6 mil

"A cidade continua combatendo a pandemia e estamos passando para a fase 2 do programa do Governo do Estado de São Paulo, mas isso não significa que devemos deixar de nos preocupar", disse o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), em entrevista coletiva na última quinta-feira. "A utilização de máscara, álcool em gel e evitar aglomerações ainda é fundamental." 

A fase 2 do programa de reabertura do governo do Estado de São Paulo também permite o funcionamento de shoppings centers e do comércio com restrições, mas esses estabelecimentos seguem fechados na cidade de São Paulo. A prefeitura disse que ainda analisa os protocolos apresentados pelos demais setores e, só depois de aprovados, eles poderão reabrir.

Transporte com capacidade máxima

Edson Caram
Reprodução Globo
Edson Caram

Também nesta sexta-feira (05), O secretário de Mobilidade e Transportes da cidade de São Paulo, Edson Caram , declarou que os ônibus circularão a partir de sábado (06) com capacidade máxima de passageiros sentados. 

"Isso está sendo colocado no protocolo que estamos criando para publicar no portal hoje para a partir de amanhã isso começar a funcionar. Vai ser obrigação", afirmou em entrevista ao Bom Dia São Paulo, da Globo .

Leia também: “Já peguei 20 vezes este vírus”, declara Bolsonaro sobre Covid-19

"Importante a população entender é que se um ônibus que ela está esperando passar no ponto e não parar, logo virá um ônibus com condições de recolhê-la para levá-la ao seu trabalho", finalizou ele. Atualmente o Brasil contabiliza uma morte devido à Covid-19 por minuto. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários