Tamanho do texto

Gladson Cameli (PP), candidato da oposição, registrou 53,6% dos votos e foi eleito no primeiro turno, derrotando Marcus Alexandre (PT), que teve 34%

Gladson Cameli (PP) foi eleito novo governador do Acre ainda no 1º turno das eleições 2018
Geraldo Magela/Agência Senado
Gladson Cameli (PP) foi eleito novo governador do Acre ainda no 1º turno das eleições 2018

Gladson Cameli (PP) atingiu 53,68% dos votos neste domingo e foi eleito no primeiro turno, deixando para trás Marcus Alexandre (PT), que somou 34,54%. Com 98% das urnas apuradas, matematicamente não há mais possibilidade de segundo turno.

Leia também: Jair Bolsonaro e Fernando Haddad se enfrentam no segundo turno para presidente

O candidato Gladson Cameli (PP) foi eleito governador do Acre no primeiro turno das eleições 2018 neste domingo (7), derrotando Marcus Alexandre (PT), candidato apoiado pelo atual governador do estado Tião Viana (PT).

Mais de 437 mil eleitores participaram do pleito em todo o estado neste domingo, número equivalente a 80,96% das mais de 500 mil pessoas que compõem o eleitorado acreano. Gladson teve 53,68% (220 mil votos) dos mais de 411 mil votos válidos registrados na eleição no Acre, enquanto Marcus Alexandre foi escolhido por 34,54% do eleitorado do estado.

Gladson Cameli é sobrinho de Orleir Cameli, governador do Acre entre 1995 e 1999 e foi aposta certeira do Partido Progressista (PP) para o governo do estado, que esteve nas mãos do Partido dos Trabalhadores (PT) nos últimos 20 anos. 

Leia também: Quem é Fernando Haddad e quais suas propostas para governar

O atual governador Tião Viana, eleito em 2010 e reeleito em 2014, teve aprovação de apenas 22% no segundo mandato, ajudando a resultar na queda do partido no Acre após 20 anos de administração petista no estado.

Também foram contabilizados 10,7% de votos para o candidato Coronel Ulysses (PSL). Janaína Furtado (REDE) e David Hall (AVANTE) não atingiram 1% dos votos; Brancos e nulos somaram 4%.

Vencedor nas eleições 2018 , Gladson Cameli (PP) assumirá o cargo em 1º de janeiro de 2019.

Os desafios para o novo governador do Acre

Governador do Acre, Gladson Cameli assumirá em 5 de janeiro no Palácio Rio Branco
Sérgio Vale/Secom
Governador do Acre, Gladson Cameli assumirá em 5 de janeiro no Palácio Rio Branco

Estado que faz divisa com Peru e Bolívia, o Acre viveu 20 anos de administração petista e um dos principais desafios diz respeito ao saneamento básico: Pouco mais da metade das residências recebe água encanada e o percentual das que têm filtro é o menor do país - 15%. De 10 casas, uma não conta com banheiro.

Na educação, a taxa de analfabetismo preocupa e é de 12% em pessoas a partir de 15 anos.  De cada 10 jovens de 16 a 29 anos, três nem estudam e nem trabalham. A renda média mensal no estado é de R$ 769, abaixo do salário mínimo nacional, que é R$954.

Maior produtor nacional de látex líquido, o Acre viu a produção da matéria prima e o desestímulo à produção aumentar em 97,5% entre 2013 e 2016 e cabe a Gladson Cameli, eleito, aproveitar o potencial do estado na área, voltando a incentivar a produção e aumentando o lucro a partir da extração do látex, reativando a economia.

Leia também: Quem é Jair Bolsonaro e quais suas propostas para governar

Gladson Cameli tomará posse como novo governador do Acre no dia 5 de janeiro, no Palácio Rio Branco. Seu mandato vai até 31 de dezembro de 2022.