Bruno Covas%2C prefeito de São Paulo e candidato à reeleição
Foto: Governo do Estado de São Paulo/Divulgação
Bruno Covas, prefeito de São Paulo e candidato à reeleição

A Prefeitura de São Paulo ainda não tem uma decisão sobre a volta às aulas  no dia 3 de novembro para a rede pública e privada na capital. De acordo com a gestão municipal, o retorno depende do resultado do censo sorológico , que são testes feitos em professores e alunos da rede municipal.

A previsão é que, caso o retorno seja autorizado, as atividades letivas presenciais sejam retomadas no dia 3 de novembro nas escolas públicas e particulares da capital.

Em coletiva de imprensa, realizada nesta terça-feira (13), prefeito Bruno Covas (PSDB) falou sobre a decisão do retorno das aulas na capital. "Devemos ter para a próxima semana, na quinta-feira da semana que vem o resultado do censo que estamos realizando com todos os professores e alunos da rede municipal. Na quinta da semana que vem teremos a decisão sobre as aulas no dia 3 de novembro. A partir destes dados, devemos ter a decisão da Prefeitura, se continua com atividades extras e se teremos algum retorno no dia 3 de novembro", disse.  

A Prefeitura já tem à disposição 180 mil testes para a primeira fase do censo, que tinha previsão de duração de 15 dias. É essa etapa que Covas está esperando para decidir sobre a volta no dia 3 de novembro. A ideia da prefeitura é examinar um total de 102 mil professores e 670 mil alunos da rede. O procedimento total vai durar cerca de 40 dias. Os bebês e crianças de 0 a 3 anos são as únicos que farão os testes em unidades de saúde, onde também terão a carteira de vacinação atualizada.

Desde 7 de outubro, colégios públicos e privados da capital paulista podem receber alunos presencialmente, mas apenas para a realização de atividades extracurriculares. Porém, apesar da liberação, até então apenas uma escola pública tinha reaberto. 

O secretário municipal de Educação, Bruno Caetano, disse na coletiva que outras 14 escolas irão reabrir no dia 19 de outubro, data oferecida como uma segunda fase para a adesão ao oferecimento de atividades extracurriculares. "A Prefeitura tem informado nas últimas coletivas que a decisão da volta às aulas se dá por um contexto de informações: o inquérito sorológico, o censo sorológico e também outros indicadores. O que a Prefeitura informou é que, no mês de outubro, haverá um pronunciamento", explicou.

No inquérito sorológico apresentado na coletiva de imprensa, nesta terça-feira, mostrou que pelo menos  236.841 crianças e adolescentes em idade escolar já foram infectadas pela Covid-19 em algum ponto da pandemia. O resultado representa 16% de todos os estudantes de ensino fundamental e médio da capital paulista.

    Veja Também

      Mostrar mais