sala de aula
Roberto Moreyra / Agência O Globo
Escolaridade para a população negra é interrompida mais frequentemente por questões sociais

Jovens negros passam, em média, dois anos a menos na escola do que brancos. Esse e outros dados foram apresentados, nesta quarta-feira (15), pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica), na pesquisa Pnad Contínua da Educação 2019. Segundo os números, os negros passam, em média, 8.6 anos na escola. Em contrapartida, os brancos passam 10.4 anos.

O estudo ainda mostrou que, dos 10 milhões de jovens brasileiros, entre 14 e 29 anos, que deixaram de frequentar a escola sem ter completado a educação básica, 71.7% são negros ou pardos. A maioria desses jovens abandonou os estudos tão cedo porque precisavam trabalhar.

Esse número reflete a taxa de analfabetismo muito maior entre a população negra (Quase 3 vezes maior que a dos brancos). Quase 10 a cada 100 negros com mais de 15 anos não sabem ler ou escrever (cerca de 10%), enquanto na população branca, este número é de 3.6%. Na população acima de 60 anos a situação também não é diferente: Nessa faixa etária, 27,1% dos negros contra 9,5% dos brancos são analfabetos.

Ensino Médio

Mais da metade da população em geral (51,2% ou 69,5 milhões) não concluíram o ensino médio.

Nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, mais da metade da população de 25 anos ou mais tinha o ensino médio completo. Por outro lado, no Nordeste, 60,1% dos adultos não tinha completado essa etapa educacional.

    Veja Também

      Mostrar mais