Abraham Weintraub, ministro da Educação
Claudio Reis / FramePhoto / Agência O Globo
Abraham Weintraub, ministro da Educação

Em conversa com um seguidor nas redes sociais no último sábado (29), o Ministro da Educação, Abraham Weintraub , afirmou que os livros de história do Brasil serão limpos "aos poucos". A declaração foi dada após ele ser questionado da presença de elementos como o candomblé e a história da China nos livros atuais.

“Ministro pq os livros de história do mec estão vindo falando de candomblé, de história chinesa, etc e não ensinado a história do Brasil?”, perguntou o internauta. Em resposta, Weintraub afirmou que a contratação desses livros é feita por triênio, terminando em 2020.

Leia também: "Dar furo" e Pinóquio: Weintraub e deputada criticam denúncia contra Bolsonaro

“Temos que limpar aos poucos. Já vai melhorar bem. Próximo ano já deve estar quase tudo limpo”, afirmou. A resposta dividiu o público: enquanto alguns elogiaram a decisão do ministro, outros questionaram sobre o problema de uma religião de matriz africana ser abordada nos livros.

Veja, abaixo, a declaração de Weintraub:


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários