Agência Brasil

A Universidade Estácio de Sá está com inscrições abertas para o Programa de Alfabetização e Letramento de Jovens e Adultos, que oferece cursos gratuitos a analfabetos. As inscrições podem ser feitas diretamente nas salas de matrícula das 12 unidades da Estácio participantes.

Leia também: Academia Brasileira de Letras critica "censura" do governo de Rondônia a livros

Universidade no DF disponibiliza curso gratuito de alfabetização
Pixabay/Creative Commons
Universidade no DF disponibiliza curso gratuito de alfabetização


“As equipes estão preparadas para receber essas pessoas”, disse hoje (7) a coordenadora do programa, Alexandra Witte. A partir de 1º de março, os candidatos serão chamados para entrevista nas unidades onde fizeram a inscrição, e as aulas devem começar no dia 9 nas unidades da universidade, no período noturno.

As aulas serão dadas por docentes da Estácio e estudantes dos cursos superiores de pedagogia, letras, história, geografia e matemática. São cinco alunos alfabetizadores, o que garante um ensino individualizado, informou Alexandra, que também é coordenadora de Responsabilidade Social da universidade. Todo o material didático será gratuito. “A pessoa não paga nada para fazer o curso, não tem que comprar nada. Todo o material é dado pela Estácio. Isso é um grande facilitador”, disse Alexandra.

Segundo a coordenadora do programa, como Como se trata de um público muito tímido, os alunos recebem atenção especial, porque muitos acham que não são capazes de aprender, têm vergonha ou tiveram experiências ruins em escolas quando crianças. Alexandra ressaltou que a metodologia é especial: não tem avaliação, nem prova. Tudo é feito de modo que eles se sintam à vontade e não se preocupem com erros ou acertos. “O objetivo é estimular os alunos a aprender.”

A participação é aberta a quem 18 anos ou mais, sem limitação de faixa etária. “A gente tem alunos de 70 e 80 anos. Todos são muito bem-vindos ao projeto”. Alexandra destacou que, apesar de não saberem ler, muitos acumulam vários saberes durante a vida. Por isso, há uma troca muito grande. “A gente os ensina a ler e a escrever, mas aprende muito com eles também.”

Os alunos têm duas aulas por semana, com três horas de duração cada, durante quatro meses. Criado em 2018, o programa é semestral e está na quinta edição. Até agora, mais de 500 jovens e adultos passaram pelos cursos . Alexandra Witte disse que 80% dos alunos saem do programa alfabetizados. Cada turma tem 24 alunos. Neste semestre, haverá 12 turmas – uma por unidade da Estácio no país, o que representa quase 300 alunos.

Leia também: Governo Bolsonaro volta atrás e quer Fundeb com validade de apenas 10 anos

Até o segundo semestre do ano passado, sete unidades participavam do programa. O número passou para 12, com a entrada das unidades de Natal e Aracaju, no Nordeste; de Taguatinga, no Distrito Federal, Resende e Queimados, no estado do Rio de Janeiro; e Interlagos e Carapicuíba, em São Paulo. Já estavam no programa as unidades da Estácio Via Brasil, Ilha do Governador, Alcântara, Taquara e Nova América, no Rio de Janeiro.

A coordenadora Alexandra Witte informou que o Programa de Responsabilidade Social da Estácio está alinhado ao Objetivo de Desenvolvimento Sustentável número 4, da Organização das Nações Unidas (ONU), cujo objetivo é garantir alfabetização a uma parcela substancial de adultos, incluindo homens e mulheres, e que estes adquiridam o conhecimento básico de matemática até 2030.

De acordo com Alexandra, a Estácio pretende contribuir para a erradicação do analfabetismo no entorno de suas unidades, considerando que, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem no Brasil cerca de 11,3 milhões de analfabetos entre a população de 15 anos ou mais.

Alexandra disse ainda que os interessados podem obter mais informações nas salas de matrícula dos próprios campi da universidade ou por meio da central de atendimento, pelos números 0800 880 6767 ou 4003-6767.

    Veja Também

      Mostrar mais