Abraham Weintraub
Agência Brasil
Weintraub


O Ministério da Educação, chefiado por Abraham Weintraub, deseja realizar mudanças na estrutura do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), conforme informações da Folha de S.Paulo.

O ministro Weintraub enfrenta atualmente uma crise na condução da pasta, gerada pela série de falhas envolvendo a correção do exame e a inscrição dos alunos no SISU (Sistema de seleção unificado) e no ProUni. 

A proposta que altera as regras do Enem deve entrar em vigor a partir de 2024. Um grupo de trabalho será criado, ainda este ano,  para definir as alterações e formular as diretrizes do novo exame. 

Lei também:  Comissão aprova convite para ministro falar sobre problemas no Enem

 O governo deseja aprovar as mudanças para que o exame esteja alinhado com a reforma do ensino médio, ainda em fase inicial de implementação. 

A reforma foi aprovada no governo do ex-presidente Michel Temer, e permite, dentre outras especificidades, que o aluno possa definir sua grade curricular com foco em uma das cinco áreas do conhecimento: linguagens, matemática, ciências humanas, ciências da natureza e ensino técnico.

A construção da base curricular  do ensino médio é de responsabilidade dos estados. Uma das ideias do governo federal é de que os alunos façam provas de acordo com  a área que estudaram.

Leia também:  Eduardo Bolsonaro defende Weintraub e diz que só  "pessoal Paulo Freire" fala mal

Saeb também deve mudar

Além do Enem, o MEC deseja promover mudanças no Saeb ( Sistema Federal de Avaliação da Educação Básica) com a aplicação de provas para todas as séries do ensino fundamental, incluindo alunos do 1º ano. Essa medida fará com crianças de 6 anos, ainda em fase de alfabetização, sejam avaliadas.

Em 2020, alunos do 2; 5º;9º ano do ensino fundamental e 3º;4º séries do Ensino Médio irão participar da avaliação do Saeb. 



    Leia tudo sobre: Enem

    Veja Também

      Mostrar mais