Tamanho do texto

Singularity University, referência no campo da tecnologia, deve começar a operar pela primeira vez na América Latina no mês de junho, fixando campus no Centro Internacional de Tecnologia e Inovação (CITI), em São Paulo

duas pessoas olhando equipamento arrow-options
Singularity University / Reprodução / Facebook
Universidade vai operar em São Paulo a partir de junho de 2020

Uma instituição de ensino presente no Vale do Silício vai ganhar um novo campus em São Paulo. A Singularity University, que trabalha com tecnologia e soluções no exterior, vai ganhar um campus no Centro Internacional de Tecnologia e Inovação (CITI), no bairro da Vila Olímpia, Zona Sul da capital.

"Essa é uma universidade que ajudou a revolucionar o conceito do ensino, da ciência e da tecnologia nos Estados Unidos e depois em outras localidades pelo mundo, e agora vai para o Brasil", afirmou o governador João Doria.

Leia também: Maior energia já vista! Hubble examina mistérios de uma explosão de raios gama

"O Brasil tem sido uma grande fonte de líderes de pensamento para o Singularity", afirmou Rob Nail, CEO da empresa. Uma comitiva do Governo de São Paulo foi recebida no Vale do Silício durante o fim de semana, finalizando as reuniões com o anúncio da parceria.

A expectativa é de que o campus seja implantado no CITI no começo de 2020 e passe a funcionar em julho do mesmo ano. Ainda não há, porém, detalhamento sobre quantas vagas ou quais cursos serão oferecidos pela universidade em São Paulo.

Leia também: Enem passa a ser aceito em mais cinco universidades em Portugal

Singularity University

A universidade Singularity foi fundada no ano de 2008 no centro de pesquisa da Nasa, na Califórnia. Ela foi uma instituição de ensino sem fins lucrativos até o ano de 2011, sendo privatizada em 2012. Uma de suas principais missões é “traçar os maiores desafios globais e construir um futuro melhor para todos”.

Em anúncio feito na internet, a Singularity afirma que escolheu o Brasil com foco em ajudar a pensar soluções que resolvam desigualdades na educação, segurança pública, saúde e infraestrutura, entregando “programas transformativos para empreendedores e executivos brasileiros”. Além do Brasil, que será o primeiro lugar da América Latina a receber a Singularity, a Austrália também receberá um campus da instituição de ensino.