Tamanho do texto

Não vai cair ideologia no Enem? Saiba o que pode mudar no conteúdo do exame e relembre as falas mais polêmicas dos ministros da Educação

Abraham Weintraub fez diversas falas polêmicas sobre o Enem ao longo do ano arrow-options
Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr
Abraham Weintraub fez diversas falas polêmicas sobre o Enem ao longo do ano

O ministro da Educação Abraham Weintraub já declarou algumas vezes que “não vai cair ideologia” no Enem 2019. A fala do ministro corrobora o que vêm sendo dito por outras autoridades do governo, incluindo o próprio presidente, desde o período da campanha eleitoral sobre o perfil da prova.

Leia também: 'Acabou o risco de não ter Enem', diz ministro da Educação

Weintraub afirmou em entrevista coletiva na manhã de quinta-feira (10) que o Ministério da Educação (MEC) passou orientações para ao Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Jobim) que o exame tivesse “foco em questões não ideológicas que mensurassem o conhecimento dos jovens na capacidade de ler, de escrever, de compreender texto, matemática, ciências, biologia, física, química”. O ministro afirmou ainda que foi pedido que a prova não ficasse “discutindo coisas que possam polemizar o ensino dos jovens”.

Para Paulo Rogério, diretor pedagógico do colégio Ao Cubo a prova do Enem este ano deve ser diferente, mas as mudanças não devem ser muito grandes e não devem acontecer no formato da prova. Ele explica que para alterações de maiores proporções seria necessário que as próprias diretrizes do Enem tivessem sido alteradas pelo Inep, o que não aconteceu.

Na opinião do diretor, a prova deste ano pode ser um pouco mais conteudista – movimento que ele lembra que já vinha acontecendo nos anos anteriores – e pode inclusive ser mais parecida com concursos militares. Em relação aos temas, ele acredita que seja difícil aparecer questões voltadas para movimentos sociais, como a polêmica do dicionário Pajubá da prova de 2018, ou temas que podem abrir espaço para críticas ao governo, como meio ambiente, por exemplo. Ainda segundo Paulo, as partes mais afetadas por uma nova mentalidade serão provavelmente as provas de linguagens e humanidades.

Controvérsias

Abraham Weintraub assumiu o Ministério da Educação em abril deste ano, após a queda de Ricardo Vélez Rodríguez. Em meio a  muitas polêmicas que envolveram a pasta desde o início do governo Bolsonaro, a realização do Enem ganhou destaque, principalmente em função das falas dos ministros e do próprio presidente sobre o exame. Confira quais foram as principais polêmicas envolvendo o Enem no último ano:



    Leia tudo sobre: Enem