Tamanho do texto

Guarda-chuva usado pelo ministro para reclamar de 'chuva de fake news' virou acessório obrigatório em manifestação: "Está chovendo protestos"

Abraham Weintraub
Reprodução/Twitter
Abraham Weintraub publicou vídeo para desmentir "fake news"

O vídeo publicado nesta quinta-feira (30) pelo ministro da Educação , Abraham Weintraub, usando um guarda-chuva para reclamar que "está chovendo fake news" inspirou estudantes que participam de  protestos contra os cortes anunciados pelo governo Jair Bolsonaro (PSL).

Pela manhã,  Weintraub publicou a mensagem em sua conta no Twitter e cantarolou, ao estilo "Cantando na Chuva" (1952) para rebater a informação de que o orçamento para reconstrução do Museu Nacional havia sido reduzido em R$ 11,9 milhões por conta dos cortes no Ministério da Educação. 

manifestação em Pelotas
Reprodução/Twitter - @psol50
Em Pelotas, estudantes usaram guarda-chuvas em referência ao ministro Weintraub

Em Pelotas, no Rio Grande do Sul, os manifestantes ostentaram seus guarda-chuvas (apesar do tempo limpo) para ironizar o vídeo do ministro. A União Nacional dos Estudantes (UNE), uma das principais organizadoras dos atos desta quinta-feira, também se inspirou na publicação de Weintraub para subir a hashtag #TáChovendoProtesto nas redes sociais.

Além do vídeo com o guarda-chuva, o ministro da Educação também publicou, ainda na noite dessa quarta-feira (29), outra mensagem  reclamando do que chamou de "coação" de professores a alunos para que eles participem dos protestos. Weintraub aproveitou também para pedir que os pais denunciem essa prática à Ouvidoria do MEC.