Abraham Weintraub
Luís Fortes/MEC
Ministro da Educação gravou vídeo para explicar diferença entre cortes e contingenciamento


O ministro da Educação, Abraham Weintraub, usou o seu perfil no Twitter nesta sexta-feira (10) para tentar se defender das crítics que vem recebendo por medidas que diminuem as verbas repassadas pelo governo às universidades federais. Na explicação, o ministro acusa a mídia de confundir os brasileiros e afirma que o que fará será um contingenciamento e não um corte.

Leia também: Renan Calheiros compara corte de verbas de Bolsonaro a estratégia nazista

Na live de quinta-feira (9) do presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Educação tentou explicar o corte usando chocolates como exemplo e acabou criticado por, supostamente, errar a conta.


Em nota nesta sexta-feira, o MEC afirma que o bloqueio total nas universidades federais foi de 3,4% e não de 30%, como noticiado.

"O bloqueio orçamentário nas Universidades, como explicado anteriormente, não incluiu as despesas para pagamento de salários de professores, outros servidores, inativos e pensionistas, benefícios, assistência estudantil, emendas parlamentares impositivas e receitas próprias", diz a nota.

A postagem do ministro da Educação foi repostada pelo presidente Jair Bolsonaro, que ainda acusou a imprensa de cometer fake news sobre o bloqueio orçamentário nas universidades federais.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários