Tamanho do texto

Operação teve como alvo as pessoas com grande probabilidade de terem fraudado exames anteriores e que estavam inscritas na prova deste domingo

Delegado Francisco Perazzoni durante balanço do segundo dia de provas do Enem
Agência Brasil
Delegado Francisco Perazzoni durante balanço do segundo dia de provas do Enem

Foi desencadeada pela Polícia Federal (PF) neste domingo (12) a operação Passe Fácil, com o cumprimento de 31 mandados de busca e apreensão e 31 de condução coercitiva em 13 estados por suspeitas de fraudes no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os mandados foram cumpridos nos estados de Pernambuco, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Piauí, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Leia também: Enem tem 32% de abstenção e 580 candidatos eliminados no segundo dia

“A partir dos dados colhidos hoje, a investigação terá continuidade, e podemos ter desdobramentos nos próximos dias”, explicou o delegado da Polícia Federal Franco Perazzoni. Segundo ele, tanto beneficiários como integrantes da quadrilha que possivelmente fraudou o Enem foram identificados.

A intenção da operação foi desvendar e desarticular esquema de candidatos interessados em fraudar o processo a partir da resolução da prova por especialistas em determinadas áreas de conhecimento, chamados de pilotos, que posteriormente repassavam os gabaritos aos candidatos que os contrataram.

Leia também: Prova de exatas do Enem foi menos interpretativa, avaliam professores

De acordo com o delegado, a operação teve como alvo pessoas com grande probabilidade de terem fraudado exames anteriores e que estavam inscritas na prova de hoje. A PF, no entanto, ainda não identificou indícios de fraudes no Enem deste ano. Segundo o delegado, não foram realizadas prisões hoje, pois nenhum dos alvos estava portando escutas, por exemplo.

Esta edição, segundo Perazzoni, foi mais tranquila do que em anos anteriores. “Este ano tivemos muito mais tranquilidade do que em anos anteriores. Tivemos apenas ocorrências normais”, disse o delegado.

Leia também: Com candidatos discretos, mototaxista que tomou calote vira meme do Enem

Para o ministro da Educação, Mendonça Filho, o anúncio de novas medidas de segurança, como a identificação das provas e o reforço com detectores de metal e de ponto eletrônico em cada local de aplicação, ajudaram a prevenir fraudes. “Isso tudo ajudou para que pudéssemos repelir preventivamente qualquer tentativa de fraude”, disse. Na última quarta-feira (8), quatro pessoas foram presas no Ceará, na operação Adinamia, da Polícia Federal, também por suspeitas de fraudes em consursos públicos e no Enem.

*Com informações da Agência Brasil

    Leia tudo sobre: Enem