Ministro da Educação sobre nova regra de isenção:
Elza Fiuza/Agência Brasil - 4.10.2016
Ministro da Educação sobre nova regra de isenção: "apuração vai ficar mais completa e evita fraudes"

Com as novas regras para a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), os candidatos que estavam contando com a isenção da taxa para fazer a prova, poderão ficar despreocupados: apesar das mudanças, o recurso permanece valendo. Porém, o processo para ter esse direito ficou mais rigoroso.

 Leia também: Enem 2017 terá provas em dois domingos; confira todas as mudanças

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), a isenção da taxa de inscrição permanece garantida para concluintes do ensino médio de instituições públicas e pessoas contempladas pela Lei nº 12.799/2013, para quem tem baixa renda. Além disso, passam a ser beneficiados os cadastrados no CadUnico junto ao Ministério de Desenvolvimento Social e Reforma Agrária. 

  No entanto, o sistema atual foi modificado. “A comprovação terá que ser mais completa”, informou o ministério. Para isso, os dados dos inscritos serão cruzados com os do Cadastro Único do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDS).

Leia também: Ministério da Educação vai acabar com divulgação de ranking do Enem por escola

 Para o ministro da Educação Mendonça Filho, o objetivo é combater a fraude: “o uso indevido por parte de pessoas que, a rigor, têm renda elevada e não deveriam se utilizar desse mecanismo, destinado aos mais pobres”.

Você viu?

 Até 2016, o benefício era concedido mediante autodeclaração e não havia nenhuma verificação da conformidade da informação. Agora, o participante deverá informar, no ato da inscrição, seu número de Identificação Social (NIS). Mendonça comentou ainda que, “dessa forma, o MEC terá mais controle contra informações falsas, que pressupõem até o cometimento de crime”.

 Em situação excepcional, o participante poderá declarar que atende às condições do decreto e da lei que permitem a gratuidade, mas se for verificado que a declaração é inverídica o candidato pode ser eliminado em qualquer etapa do processo.

Desistentes não poderão pedir isenção em 2018

 O MEC também informou que, devido ao alto número de desistências no dia do exame entre os candidatos que pediram isenção, este ano, o participante que conseguir fazer a prova gratuitamente e não comparecer para a realização das provas perderá o benefício da gratuidade para o Enem 2018, caso queira usá-lo.

 Segundo o ministério, na edição de 2016, dos 8.627.195 inscritos, 2,5 milhões faltaram ao exame, o que corresponde a quase 30% do total.

A não ser que justifique ausência por meio de atestado médico ou documento oficial que comprove a impossibilidade de comparecimento. Não haverá mais justificativa por autodeclaração. 

Leia também: SP: alunos de escola estadual obtêm notas superiores à média na redação do Enem

No ano passado, os que pediram isenção de taxa representaram 77% dos inscritos no Enem. Desses, 59% tiveram a carência deferida por comprovarem baixa renda e 18% por estudarem em escola pública. 

    Leia tudo sobre: Enem

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários