Tamanho do texto

Estudantes da E.E. Gentila Guizzi Pinatti, no interior, alcançaram pontuação acima de 840; jovens destacam necessidade de leitura e prática da escrita

Alunos da E.E. Gentila Guizzi Pinatti, na região de Votuporanga, tiraram notas acima da média na redação do Enem
Alexandre Carvalho/A2 Fotografia
Alunos da E.E. Gentila Guizzi Pinatti, na região de Votuporanga, tiraram notas acima da média na redação do Enem

Quatro alunos do Ensino Médio da Escola Estadual Gentila Guizzi Pinatti, na região de Votuporanga, interior de São Paulo, foram destaques na redação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) em 2016. Agnaldo, Ana Paula e Gabriela tiraram notas acima de 840. Já Amanda D’Auricio foi além e conquistou 940. No ano passado, o tema da prova era “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”. O MEC (Ministério da Educação) informa que a média registrada na última edição foi entre 501 e 600 pontos.

LEIA MAIS: Saiba tudo sobre o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio)

Os estudantes revelam o bom resultado no Enem é resultado de muita dedicação, principalmente com horas de leitura e prática de escrita. Segundo a Secretaria de Educação de São Paulo, as turmas da 3ª série do ensino médio eram incentivadas a entregar pelo menos uma redação por semana.

“Eu entendi que não precisamos escrever de forma engessada. Cada um aprende qual é o seu jeito de produzir”, conta Amanda. No exame , a aluna defendeu a importância de grandes líderes religiosos não utilizarem a influência para manipular negativamente as pessoas.

A secretaria de Educação informa que outra estratégia adotada pela unidade foi a apresentação de seminários. Há 12 anos na diretoria da escola, Isabel Cristina percebeu que apenas o domínio da escrita não é fundamental. Por isso, a escola investe em encontros e debates. Assim, os alunos podem conhecer mais a fundo os temas e elaborar argumentos.

LEIA MAIS: Conheça a história de um preso que prestou o Enem

“Focando no vestibular, eu pedi que os professores exigissem redação dos alunos todas as semanas. A sala de leitura, com certeza, é outra grande aliada, já que o hábito da leitura ajuda bastante na hora de escrever”, afirma.

O exame

No ano passado, pouco mais de 6 milhões de pessoas em todo o País participaram do exame, segundo informações do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), autarquia vinculada ao MEC que é responsável pela organização e pela aplicação da prova.

A aplicação da prova regular em 2016 foi feita em duas etapas. A primeira foi nos dias 5 e 6 de novembro, que contou com a participação de 5.848.619 pessoas. As ocupações em centenas de locais de prova no Brasil, motivadas por protestos contra medidas anunciadas pelo governo, demandaram o adiamento do teste para pouco mais de 270 mil candidatos.

LEIA MAIS: Organizador do Enem, Inep cria página no Facebook e perfil no Instagram

A segunda aplicação do Enem, para quem teve a prova adiada no início de novembro, ocorreu nos dias 3 e 4 de dezembro. Considerando os dois fins de semana, 6.005.607 pessoas participaram do exame neste ano. O índice de abstenção ficou em 30,4%, já que 8.627.195 haviam sido confirmadas.

    Leia tudo sobre: Enem
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.