Nuno Vasconcellos

Tudo gira em torno de 2022
Agência Brasil
Tudo gira em torno de 2022

A exemplo dos políticos, também a Justiça Eleitoral está caminhando a passos largos para organizar o pleito do ano que vem . O próprio Tribunal Regional Eleitoral fez um levantamento que dá perfeita dimensão do desafio: "Com um total de 1.030.949 eleitoras e eleitores filiados a partidos políticos, o Rio de Janeiro é o quarto estado com maior número de pessoas registradas em legendas partidárias.

Esse número representa 8,29% do eleitorado fluminense que, atualmente, é de 12.426.498 pessoas. Em 2016, o Rio de Janeiro contava com 1.083.674 eleitores inscritos em partidos políticos. Já em 2018, as filiações saltaram para 1.147.038. No Brasil, 16.003.597 eleitores são filiados a partidos políticos. Os dados estão disponíveis no site doTribunal Superior Eleitoral (TSE). Apesar de representarem 53,87% (6.693.699) dos eleitores do estado, as mulheres são minoria entre os membros de partidos políticos, com 49,29% (508.187) das adesões.

O Partido Democrático Trabalhista (PDT) é a legenda com o maior número de mulheres filiadas (81.178). Já o Partido da Causa Operária (PCO) é o que tem o menor número de adesões femininas, com 96 filiadas.Os eleitores jovens, na faixa etária de 16 a 24 anos, representam 0,83% (8.620) dos membros de partidos políticos, com o Partido Socialismo e Liberdade (Psol) liderando as adesões dessa faixa (1.227). O PCO é a legenda que tem o menor número desses jovens, com cinco filiados. A faixa etária de 45 a 59 anos é a que conta com o maior número de pessoas filiadas: 363.247 adesões. O PDT é a legenda que mais atrai pessoas dessa faixa etária, contabilizando 53.254 inscritos.

O Movimento Democrático Brasileiro (MDB), com 160.948 membros, o Partido Democrático Trabalhista (PDT), com 125.220, e o Partido dos Trabalhadores (PT), com 111.119, são as legendas com o maior número de filiados no estado. Na outra ponta, temos o Partido Comunista Brasileiro (PCB), com 1.237 adesões, o Partido da Causa Operária (PCO), com 335, e o Unidade Popular (UP), com 289".

Você viu?

ISENÇÃO PARA MESÁRIOS

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) também está ajudando com ideias que possam trazer mais conforto para o pleito. O projeto de lei 2.843/17, de autoria da deputada Martha Rocha (PDT), que assegura a isenção do pagamento de taxa de inscrição em concursos públicos, para qualquer cargo da Administração Estadual, aos mesários de eleições é um desses exemplos em discussão.

De acordo com o texto, o benefício da isenção valerá para a inscrição em um concurso público aberto nos dois anos seguintes ao da convocação para o serviço eleitoral. "O objetivo é beneficiar os cidadãos que trabalham, sem remuneração, nas eleições, permitindo que o processo democrático ocorra de forma bem-sucedida", justificou a autora.

Combate à pandemia

Projeto de lei de autoria do deputado federal Paulo Ramos (PDT) prevê que o resultado financeiro positivo das operações com reservas cambiais do Banco Central poderá ser destinado para custear despesas do Ministério da Saúde com medidas de combate à Covid-19. Proposta foi aprovada na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados.

Mesmo após 7 de setembro

Em nota, o Podemos informa que "descarta aderir ao movimento de impeachment do Presidente Jair Bolsonaro". Segundo o partido, o posicionamento "inclui um projeto de terceira via para o País".


Encontro antes do relatório final

Reunião do grupo misto que apura a chacina do Jacarezinho está marcada para hoje. Será último encontro, com as Comissões de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania e de Segurança Pública e Assuntos de Polícia, antes da elaboração do relatório final. A deputada Dani Monteiro convidou secretários de Polícia Militar e Polícia Civil para a reunião. "O que se espera, de fato, é chegar a uma política em que a manutenção das vidas sejam a prioridade", afirma a parlamentar, que preside a CDDHC.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários