Nuno Vasconcellos

 Segundo o vereador Gabriel Monteiro (PSD), ele e equipe teriam sido alvos de tiros de bandidos
Reprodução
Segundo o vereador Gabriel Monteiro (PSD), ele e equipe teriam sido alvos de tiros de bandidos

Fenômeno das redes sociais, bolsonarista, o vereador Gabriel Monteiro (PSD) é sinônimo de polêmica, mesmo antes de ser eleito parlamentar. Neste domingo (1º), ele registrou ocorrência na 29° DP (Madureira) do que chamou de "tentativa de homicídio" a que foi vítima durante uma ação social que realizava com assessores, em Quintino, zona norte do Rio de Janeiro .

A versão registrada dá conta que ele e sua equipe tiveram que se proteger no local onde era realizada uma ação social após serem cercados por criminosos que dispararam tiros contra eles. O ataque teria começado quando o vereador estava saindo do abrigo em que acontecia o evento e voltava para o carro para pegar mais presentes para as crianças. Quando os policiais do 9º BPM (Rocha Miranda) chegaram, houve trocas de tiros, mas os bandidos conseguiram fugir. Não há registro de feridos.

CONFUSÃO

Este é só mais um dos casos controversos envolvendo o parlamentar, que foi o terceiro vereador mais votado do Rio de Janeiro, em 2020, com 60.326 votos. Em junho deste ano, Gabriel Monteiro se envolveu numa confusão com um caminhoneiro em um bingo clandestino, quando foi ao local fiscalizar. A polícia investiga o caso.

Você viu?

Em abril, ao visitar um hospital, o vereador não utilizava equipamentos de proteção e causou aglomeração em área onde estavam pacientes com covid-19. Enquanto era policial militar, Gabriel Monteiro teve em sua ficha 16 registros de transgressões disciplinares.

Intervenção no BRT

Os donos das empresas de ônibus ameaçam parar se a Prefeitura não der subsídio para compra do diesel. A vereadora Teresa Bergher acha que a turma está chorando de barriga cheia. Afinal, só no Diário Oficial da última quinta-feira foram mais R$ 5 milhões para a intervenção no BRT.

Como o município já tinha repassado ao consórcio R$ 36,4 milhões, a intervenção já conta com R$ 41,4 milhões. Tá melhor que o diesel. A vereadora vai encaminhar um requerimento de informações para saber como este dinheiro está sendo aplicado.


Parceria com Prefeitura

Autor da lei que cria o Programa Ambulatorial de Fisioterapia Respiratória, o vereador Dr. Carlos Eduardo foi recebido pelo prefeito Eduardo Paes, ao lado do presidente do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional do Rio (Crefito2), Wilen Heil e Silva. O Crefito2 conta com 60 mil profissionais e ofereceu à Prefeitura do Rio parceria para treinar e capacitar profissionais de toda a rede municipal.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários