Funcionários dos Correios vivem incertezas por causa da privatização
Reprodução: iG Minas Gerais
Funcionários dos Correios vivem incertezas por causa da privatização

Este ano os  Correios completaram 358 anos. Poucas empresas podem ostentar este feito. A história da empresa se confunde com o estado do Rio de Janeiro. Se não fosse o esforço dos pioneiros, as cartas da princesa Leopoldina e de José Bonifácio não chegariam a Dom Pedro I, o que culminou na Proclamação da Independência.

O país deve aos bravos carteiros o início de tudo. Hoje, em média, são entregues 15,2 milhões de objetos postais por dia, sendo 13,7 milhões de correspondências e 1,5 milhão de encomendas nacionais e internacionais. Para garantir esse volume de entregas, os carteiros percorreram a pé, de bicicleta, carro e barco um total de 1.302.766 km por dia, o equivalente a 33 voltas ao redor da Terra. Sem saber ao certo sobre o futuro da empresa, se será mesmo privatizada ou não, os funcionários vivem incertezas.

CONGRESSO

A pressão dos Ministérios da Economia e das Comunicações é grande para que a Câmara vote logo o projeto de Lei 591/2021, que abre caminho para a privatização dos Correios. Como a proposta recebeu 280 votos favoráveis e 165 contrários à medida, a decisão facilita que a proposta seja votada diretamente no plenário, sem necessidade de apreciação pelas comissões legislativas.

Ainda não há data para a análise do mérito do texto. Do ponto de vista do conteúdo, o PL libera o Poder Executivo para converter a estatal, que hoje está 100% nas mãos do poder público, em uma sociedade de economia mista. O destino dos Correios interessa ao Rio de Janeiro, já que muitos funcionários estão lotados no estado, onde a empresa foi fundada ainda no Império.

Caminho indefinido

Após o prefeito Waguinho, de Belford Roxo assumir a presidência estadual do PSL na última semana, os deputados Rodrigo Amorim (estadual) e Felicio Laterça (federal) lideram uma frente com outros integrantes para resistirem ao novo comando da legenda e continuarem por ali. Ao mesmo tempo, o governador Cláudio Castro tem sondado Amorim toda hora para que ele vá para o PL.


Vereador nas ruas do Rio de Janeiro

Durante o recesso parlamentar, o vereador Pedro Duarte (Novo) tem feito panfletagens nas ruas do Rio para prestação de contas de seus seis meses de atuação na Câmara Municipal da cidade. "A abordagem ainda é encarada com surpresa pelos cariocas - muitos nunca presenciaram um vereador eleito prestando contas à população", disse.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários